Jogador americano Robbie Rogers assume ser gay e decide deixar o futebol


Publicado pela Folha
 
O meia americano Robbie Rogers, 25, que recentemente jogou pelo Leeds United e no Stevenage, da Inglaterra, além de somar 18 partidas pela seleção dos EUA, escreveu em seu site -- sob o título "O Próximo Capítulo" -- que é homossexual e que vai deixar os campos de futebol.
 
"Segredos podem causar tanto dano interno. Pessoas gostam de pregar sobre a honestidade, como se a honestidade fosse tão clara e simples. Tente explicar para seus parentes depois de 25 anos que você é gay", escreveu o jogador, nesta sexta-feira.
 
"Nos últimos 25 anos, eu tenho medo. Medo de mostrar quem eu realmente era. Medo de que julgamentos e rejeições me privariam de sonhos e aspirações. Medo de que os meus entes queridos ficariam distantes de mim se soubessem o meu segredo. Medo de que o meu segredo ficasse no caminho dos meus sonhos. O sonho de ir a uma Copa do Mundo e Jogos Olímpicos, sonhos de fazer minha família orgulhosa. O que seria da minha vida sem esses sonhos?", escreveu.
 
Rogers fez seu nome na MLS (liga de futebol dos Estados Unodos) com Columbus Crew e fez parte da equipe dos EUA nos Jogos Olímpicos de Pequim-2008 e, por pouco, não foi convocado para a Copa do Mundo de 2010.
 
"Nunca vou esquecer os amigos que fiz um longo caminho e os amigos que me apoiaram, uma vez que sabiam do meu segredo", disse. "Agora é a minha hora de me afastar. Está na hora me afastar do futebol", completou.
 
 
As declarações reveladoras do jogador foram recebidas com solidariedade e mensagens de apoio por diversos líderes do futebol dos EUA via mídias sociais.
 
"100% amor e apoio para um dos meus melhores amigos Robbie Rogers. Você fará falta em campo. Talento incrível, pessoa incrível", disse o meia Sacha Kljestan, companheiro de equipe dos EUA que joga na Bélgica pelo Anderlecht.
 
O executivo-chefe da Associação de Futebolistas Profissionais de Inglaterra, Gordon Taylor, disse à Sky Sports News do Reino Unido que o futebol só começam a vencer a batalha contra o preconceito se os jogadores gays "idealmente falarem sobre o assunto durante a sua carreira, mesmo que seja para o fim de sua carreira".
 
O ex-goleiro da equipe dos EUA, Kasey Keller, que também jogou no futebol inglês, disse que espera ver Rogers de volta no jogo.
 
"A bravura de Robbie Rogers é louvável, espero que ele perceba que ele não precisa se aposentar. Ele será mais acolhido do que imagina", escreveu Keller no Twitter.
 
 

Comentários