Acusado de matar homossexuais em MT diz sentir prazer no que faz

 
Publicado pelo G1
 
O jovem de 23 anos preso em Cuiabá por suspeita de assassinar dois homossexuais possui um perfil frio e tem gosto pelo que faz. A avaliação é do delegado Walfrido Franklin do Nascimento, da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), que ouviu o depoimento do suspeito e é responsável pelo inquérito que apura as mortes. O jovem confessou os crimes, sendo o último cometido no dia 4, quando um homem de 37 anos foi morto a facadas e com uma pancada na cabeça.
 
De acordo com o delegado, o suspeito teria prazer nas mortes e o principal objetivo seria roubar as vítimas. “Ele [suspeito] diz que tem relação sexual com todas as vítimas. E por elas serem homossexuais também, facilitaria a ação criminosa por conseguir se aproximar delas mais facilmente e controla-las”, frisou Nascimento.
 
Por outro lado, a Polícia Civil não descarta a possibilidade de homofobia, apesar do suspeito se declarar homossexual. O corpo da vítima de 37 anos foi encontrado na terça-feira (5), em um terreno baldio do Bairro Coab Nova, onde morava. Um casal que passava pela local foi quem acionou a Polícia Militar.
 
A vítima levou três facadas e foi encontrada com os pés e as mãos amarrados com um cinto de segurança. A arma do crime, uma faca, também estava no local. O tênis que o homem usava quando foi assassinado havia sido vendido em um ponto de venda de drogas. Walfrido Franklin disse que o suspeito relatou que obteve ajuda de um comparsa para cometer o assassinato.
 
A vítima estava em um veículo, que foi incendiado e encontrado pela polícia na mesma região. “Eles [suspeito e comparsa] roubaram os pertences da vítima e o carro. No caminho, o veículo foi incendiado e deixado próximo ao local do crime”, contou o delegado.
 
No decorrer das investigações, verificou-se que o suspeito também é apontado como autor de outro homicídio, ocorrido com o mesmo procedimento, em novembro de 2012, no bairro Boa Esperança. A vítima tinha 59 anos. Durante a prisão, em depoimento à Polícia Civil, ele confessou os crimes e revelou que todas as suas vítimas eram homossexuais. No entanto, disse que o primeiro crime praticou sozinho.
 
Além disso, conforme o delegado, o jovem teria revelado também que já estava “flertando” com uma outra pessoa que, segundo ele, seria sua terceira vítima. O detalhe, ressalta o delegado, é que o suspeito fez questão de declarar que está “aprimorando os assassinatos com requintes de crueldade”. “A informação que nos deu é de que as próximas vítimas seriam mutiladas, queimadas e enterradas, com intuito de dificultar o trabalho da polícia na localização do corpo”, frisou.
 
Dessa forma, a Polícia Civil busca identificar e localizar o segundo suspeito envolvido no assassinato, como apurar se há outras pessoas ligadas aos homicídios.
 
 

Comentários

Postar um comentário

Respeitamos opiniões contrárias às postagens contidas nesse site, mas solicitamos que evitem utilizar esse espaço para fazer propagandas, incluir conteúdos que não tenham vínculo com as postagens ou que visem agredir quem quer que seja. Obrigado!