10/03/2013

Acusado de matar homossexuais em MT diz sentir prazer no que faz

 
Publicado pelo G1
 
O jovem de 23 anos preso em Cuiabá por suspeita de assassinar dois homossexuais possui um perfil frio e tem gosto pelo que faz. A avaliação é do delegado Walfrido Franklin do Nascimento, da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), que ouviu o depoimento do suspeito e é responsável pelo inquérito que apura as mortes. O jovem confessou os crimes, sendo o último cometido no dia 4, quando um homem de 37 anos foi morto a facadas e com uma pancada na cabeça.
 
De acordo com o delegado, o suspeito teria prazer nas mortes e o principal objetivo seria roubar as vítimas. “Ele [suspeito] diz que tem relação sexual com todas as vítimas. E por elas serem homossexuais também, facilitaria a ação criminosa por conseguir se aproximar delas mais facilmente e controla-las”, frisou Nascimento.
 
Por outro lado, a Polícia Civil não descarta a possibilidade de homofobia, apesar do suspeito se declarar homossexual. O corpo da vítima de 37 anos foi encontrado na terça-feira (5), em um terreno baldio do Bairro Coab Nova, onde morava. Um casal que passava pela local foi quem acionou a Polícia Militar.
 
A vítima levou três facadas e foi encontrada com os pés e as mãos amarrados com um cinto de segurança. A arma do crime, uma faca, também estava no local. O tênis que o homem usava quando foi assassinado havia sido vendido em um ponto de venda de drogas. Walfrido Franklin disse que o suspeito relatou que obteve ajuda de um comparsa para cometer o assassinato.
 
A vítima estava em um veículo, que foi incendiado e encontrado pela polícia na mesma região. “Eles [suspeito e comparsa] roubaram os pertences da vítima e o carro. No caminho, o veículo foi incendiado e deixado próximo ao local do crime”, contou o delegado.
 
No decorrer das investigações, verificou-se que o suspeito também é apontado como autor de outro homicídio, ocorrido com o mesmo procedimento, em novembro de 2012, no bairro Boa Esperança. A vítima tinha 59 anos. Durante a prisão, em depoimento à Polícia Civil, ele confessou os crimes e revelou que todas as suas vítimas eram homossexuais. No entanto, disse que o primeiro crime praticou sozinho.
 
Além disso, conforme o delegado, o jovem teria revelado também que já estava “flertando” com uma outra pessoa que, segundo ele, seria sua terceira vítima. O detalhe, ressalta o delegado, é que o suspeito fez questão de declarar que está “aprimorando os assassinatos com requintes de crueldade”. “A informação que nos deu é de que as próximas vítimas seriam mutiladas, queimadas e enterradas, com intuito de dificultar o trabalho da polícia na localização do corpo”, frisou.
 
Dessa forma, a Polícia Civil busca identificar e localizar o segundo suspeito envolvido no assassinato, como apurar se há outras pessoas ligadas aos homicídios.
 
 

Um comentário:

AugustoCrowley disse...

Um serial killer? horror!

Marcador Em Destaques