07/03/2013

Petição online pede afastamento de Marco Feliciano de comissão

 
Publicado pelo Extra
 
Poucos minutos após a eleição do deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) para a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, um internauta, identificado Lauro P., criou uma petição online pedindo o afastamento do parlamentar da função. Por volta das 20h desta quinta-feira, já estava com 34 mil assinaturas.
 
“O preconceituoso deputado não pode assumir uma comissão que visa acabar com preconceitos! Não são desconhecidas as posições e as posturas do pastor. Ele afirmou que Aids é câncer gay, que os africanos foram amaldiçoados. A candidatura apresenta pelo PSC fere o regimento interno da Câmara dos Deputados!”, diz o texto da petição.
 
A repercussão da eleição de Feliciano foi parar também no Facebook, onde internautas postaram imagens com o dizer “Estou de luto pelos direitos humanos no Brasil!” e outra em que Feliciano é chamado de racista e homofóbico. Juntas, as duas imagens tinham 35 mil compartilhamentos. Outros marcaram pela rede social um ato de repúdio à escolha do pastor para o comando da comissão, para o próximo sábado, em São Paulo.
 
Mais cedo, o assunto foi um dos mais comentados do Twitter e o nome do deputado, de seu partido e da comissão ficaram, ao mesmo tempo, no trending topics no Brasil.
 
"Acordei e pensei: não morreu ninguém hoje? Demorou mas não falhou, morreram os Direitos Humanos!", escreveu a internauta Mirian Bottan, numa das mensagens que contribuíram para deixar o nome da comissão nos assuntos mais comentados no microblog.
 
Conhecido por suas posições radicais e conservadoras em relação a homossexuais, negros e ao aborto, o parlamentar já disse que o amor entre pessoas do mesmo sexo leva ao ódio, ao crime e à rejeição. Em 2011, criou polêmica ao escrever que "os africanos descendem de ancestral amaldiçoado por Noé" e que essa maldição é que explica o "paganismo, o ocultismo, misérias e doenças como ebola" na África. Em entrevista ao GLOBO, ele negou ser homofóbico e disse sofrer ameaças de morte.
 
PÁGINA DA PETIÇÃO: CLIQUE AQUI!

Nenhum comentário:

Marcador Em Destaques