09/04/2013

Ângela Ro Ro revela ter sido agredida por ser homossexual

 
Publicado pelo OMG
 
Ângela Ro Ro, 63, primeira cantora brasileira a assumir a homossexualidade, contou que foi agredida por causa de sua orientação sexual e elogiou a cantora Daniela Mercury pela sua coragem. A entrevista foi publicada pela coluna "Retratos da Vida", do jornal "Extra", nesta terça-feira (9).
 
A cantora revelou que foi espancada por homofobia. "Fui vítima da nossa própria segurança, essa que hoje ilustra as manchetes dos jornais. Eu, infelizmente, tenho sequelas físicas. Me deslocaram a retina do olho direito e me ensurdeceram um ouvido. Quando gritei: 'Ai, meu útero', que me gerou um corte de 13 cm no baixo ventre, ouvi de um policial: 'sapatão não tem útero'", contou.
 
Ângela explicou que hoje encontrou a paz e que leva uma vida feliz. "Estou há 15 anos sem beber e sem fumar, feliz da vida e praticando exercícios. Como queria continuar viva, deixei isso de lado. Porque se tivesse entrado com processo, poderia estar aleijada", disse.
 
Sobre o caso da cantora Daniela Mercury, que anunciou recentemente que tem um relacionamento com outra mulher, Ângela elogiou a cantora de axé. "É uma pessoa maravilhosa, que só nos dá orgulho por conta do seu talento e que se despojou de sua vaidade. Não em prol de fazer fofoca ou buxixo, mas porque é mãe de família, responsável, madura, lúcida e consciente para ir em prol da liberdade dos direitos humanos", narrou.
 
A cantora também aproveitou para falar sobre os comentários da cantora Joelma, que comparou homossexuais a drogados. "Uma pena, sujou o nome da banda", declarou.
 
Sobre a polêmica envolvendo o deputado Marco Feliciano na Comissão de Direitos Humanos da Câmara, ela disse o seguinte: "Diariamente morrem muitas pessoas por homofobia. A lésbica é quase sempre currada, estuprada. E numa hora dessa a Comissão de Direitos Humanos não pode se dar o direito de ficar brincando. Atinge vidas. Esta Comissão está caminhando em direção à tortura, à ditadura, à violência. É de uma leviandade tamanha que corre o risco de ser ativista em prol de um fascismo assassino".
 
Nos seus próximos shows, Ângela prometeu homenagear muitos de seus colegas homossexuais. "Vou fazer uma homenagem a pessoas de coragem, como Daniela Mercury, e lembrar amigos que já nos deixaram, como Emílio Santiago", contou.
 
 

Um comentário:

AugustoCrowley disse...

É verdade, não é brincadeira a homofobia mata, deixa sequelas muitas das quais irreversíveis na vida de um ser humano.

Marcador Em Destaques