Delaware é o 11º estado americano a aprovar o casamento gay

 
Publicado pela Veja
 
Delaware se transformou nesta terça-feira no 11º estado americano a legalizar o casamento gay. O Senado do pequeno estado no nordeste dos Estados Unidos aprovou por 12 votos contra nove a medida que já havia sido respaldada pela Câmara em abril. A nova legislação foi assinada pelo governador democrata Jack Markell.
 
"Hoje escrevemos um novo capítulo em nossa história e provamos, mais uma vez, que a justiça e a igualdade seguem avançando em Delaware", afirmou o político em um comunicado divulgado após a aprovação do projeto.
 
Até hoje, Delaware permitia as uniões civis entre casais do mesmo sexo, mas não os casamentos, em uma situação similar a dos estados de Illinois, Nova Jersey, Nevada, Oregon, Colorado e Havaí. Segundo a nova lei, o casamento entre pessoas do mesmo sexo será uma realidade em Delaware a partir do dia 1º de julho e os casais que tenham recorrido às uniões civis poderão mudar seu status se desejarem.
 
Os outros dez estados americanos que aceitam o casamento gay são Rhode Island, Massachusetts, Connecticut, Nova York, Vermont, New Hampshire, Iowa, Maine, Maryland e Washington, além da capital do país, Washington D.C.
 
Suprema Corte – No final de março, a discussão sobre o casamento gay chegou à Suprema Corte dos Estados Unidos. Os juízes escutaram argumentos a favor e contra para decidir se a união homoafetiva se tornará um direito constitucional, o que obrigaria todos os estados americanos a aceitá-la. Nos Estados Unidos, cada estado tem autonomia legislativa para aprovar leis, desde que elas respeitem a constituição do país.
 
Depois da primeira audiência, que abordou a constitucionalidade da Proposta 8, que em 2008 proibiu a união entre pessoas do mesmo sexo na Califórnia, a corte se mostrou reticente em tomar uma decisão final. Na segunda audiência, discutiu-se a constitucionalidade da Lei de Defesa do Casamento (DOMA, na sigla em inglês), que barra a concessão de benefícios federais a homossexuais legalmente casados. As decisões são esperadas para junho.
 
 

Comentários