28/06/2013

Dilma recebe representantes LGBT para discutir combate à homofobia

 
Publicado pelo Terra
 
A presidente Dilma Rousseff determinou nesta sexta-feira, Dia Mundial do Orgulho LGBT, que o governo busque dados estatísticos mais precisos sobre a violência contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. A orientação foi dada às ministras de Direitos Humanos, Maria do Rosário, e de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, durante encontro com representantes de movimentos LGBT.
 
"É um caminho que o nosso governo tem dado e é uma orientação da presidente para as secretarias envolvidas trabalharem neste sentido", disse Eleonora.
 
Segundo o representante da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, Toni Reis, a presidenta explicou que é preciso ter "números para combater toda e qualquer intolerância e ódio".
 
Reis informou que os movimentos entregaram uma carta assinada por todas as organizações ligadas ao setor com vários pontos de reivindicação, entre os quais a necessidade de aprovação do Projeto de Lei 122, de criminalização da homofobia. Os movimentos também pedem mais recursos para políticas públicas relacionadas e a rejeição do projeto sobre "cura gay". "Não se pode curar o que não é doença. (O projeto) é uma excrescência de cidadania", disse Reis.
 
A ministra Maria do Rosário disse que Dilma enfatizou sua posição em defesa da comunidade LGBT. "A presidente Dilma afirmou claramente que o Estado é laico e que, em seu nome e do governo, devemos agir sempre contra todas as formas de intolerância e de discriminação." De acordo com a ministra, Dilma estabeleceu um marco importante ao receber os movimentos no dia em que se comemora mundialmente o orgulho LGBT e demonstrar que está atenta à defesa dos direitos dessa comunidade.
 
 

Nenhum comentário:

Marcador Em Destaques