Criador de jogo com tema gay fala sobre preconceito da indústria


Publicado pelo Terra
 
Em entrevista ao site Polygon, Luke Miller, criador do “jogo mais gay já feito” (segundo ele mesmo) Ex-Boyfriend the Space Tyrant, disse que o objetivo do game sempre foi expandir os tipos de história na indústria.
 
“Se não existisse jogos para heterossexuais, eu até entenderia a hostilidade, mas por favor...”, contou o desenvolvedor sobre as críticas enquanto o jogo estava para votação no Steam Greenlight – canal de viabilização de games independentes na loja online da Valve. “Space Tyrant e diverso e inclusivo, mas nunca pensei em fazer um jogo simpático aos heterossexuais. Não é sobre exclusão, é sobre expandir os tipos de histórias contadas nos jogos, que só pode levar a títulos mais interessantes para todos nós.”
 
Com alto nível de humor, muitos homens sem camiseta e temática de ficção científica, o jogo de desafio em point & click conta a história do capitão Tycho Minogue, que viaja pelo universo para acabar com governante do mal, personificado como ex-namorado. Segundo Miller, uma das grandes diferenças do jogo são as piadas inteligentes, que brinca com insinuações sexuais.
 
De acordo com o criador australiano, a ideia de Ex-Boyfriend the Space Tyrant surgiu porque não existem personagens homossexuais nas ficções científicas que ele gostava quando pequeno. Sobre a pouca seleção de títulos sobre o tema, ele acredita que o mercado – que quer sempre abrir seu leque de clientes – é dosador da indústria e não a homofobia.
 
My Ex-Boyfriend the Space Tyrant custa US$ 22 no site oficial do jogo (www.um.com.au/spaceout) e está disponível para PC, Mac e Linux. Uma sequência do game já está sendo pensada e, segundo Miller, “será ainda mais gay”.
 
 

Comentários