Empresário lança serviço exclusivo para homossexuais


Visto no Estadão 

E se o que o homem procura não é exatamente uma mulher para casar, mas sim outro homem? Já é possível contar com apoio especializado para esse caso. Há cerca de seis meses no mercado, a Angel Matchmaker atua apenas com homossexuais homens interessados em relacionamentos sérios.  

“No meio GLS, como no meio hétero, não faltam pretendentes, falta é seriedade de propósitos”, afirma Agnaldo Silva, de 45 anos, diretor da empresa. Para entrar no banco de dados da agência, é preciso responder cerca de 200 perguntas e passar por uma entrevista rigorosa. “Esse é um nicho interessante para se apostar pois os homossexuais ainda sofrem de preconceitos na sociedade e não têm tanta liberdade para se expor”, afirma Fabio Mariano, consultor da Insearch. Segundo ele, essa aposta em grupos específicos tende ao sucesso pois é mais fácil identificar as características do público-alvo.

A Angel Matchmaker tem pouco mais de 100 clientes nos seis meses de existência e a taxa de inscrição vale por 12 meses – Agnaldo não quis revelar quanto cobra pelo serviço ou citar dados de faturamento. “Do ponto de vista monetário ainda é cedo para falar se é bom, se é ótimo, mas estamos seguindo e acho que os louros vamos colher daqui um tempo.”

Diferentemente de algumas agências tradicionais, os clientes têm acesso a fotos e informações preliminares de outros candidatos – religião, atividade profissional e grau de instrução (99% dos participantes atuais têm curso superior completo). Oferecer esses dados é, inclusive, uma maneira de usar a internet a favor da empresa. 

“Existem milhares de casos de pessoas que se encontram pela internet, não só redes sociais, mas em chats”, salienta Fabio Mariano. O especialista considera essencial o empresário manter sempre em mente que as facilidades da internet devem ser usadas para ajudar o negócio – principalmente na promoção e divulgação.

Mas o principal diferencial das agências de matrimônio, para o professor Marcelo Nakagawa, é mesmo a tarefa de reunir pela primeira vez futuros casais. “A efetividade do encontro tende a ser muito mais interessante para as duas partes. É mais eficaz do que ficar jogando na loteria online das redes sociais”, afirma. 

“Muitas vezes, nas redes sociais você vai encontrar pessoas que já conhece. Nas agências, há o fator surpresa, de a agência te surpreender com uma opção que você não achava que ia gostar”, conclui o professor. Agnaldo concorda: “É inenarrável quando acontece o que ouvi aqui outro dia: ‘Há quanto tempo eu te procurei’”, recorda.

Comentários