França quer promover igualdade de sexos a partir da escola


Visto no RFI

A discussão sobre igualdade entre os sexos na escola, o aumento das uniões gays celebradas por toda a França neste verão e críticas sobre o seminário do governo Hollande sobre o futuro do país dominam algumas das manchetes da imprensa francesa.

Um relatório do Ministério da Educação defendendo a promoção da igualdade de sexos desde o início da vida escolar dos franceses é o tema que ganhou a manchete do conservador Le Figaro. O jornal afirma que passou despercebido o documento elaborado pela Inspeção Geral da Educação Nacional e entregue ao ministro Vincent Peillon. O texto, escreve o Le Figaro, afirma que a desigualdade entre os sexos começa na escola e por isso pede que as cartilhas escolares contribuam para acabar com comportamentos sexistas. Neste reinício das aulas, em setembro, 10 instituições de ensino vão começar uma experiência chamada "ABCD da igualdade", informa o jornal.

O Aujourd'hui en France dedica sua reportagem principal à compra do material escolar e traz muitas dicas para os consumidores. O aumento de preços em relação ao ano anterior foi de apenas 0,6%, comemora o jornal, mas nem por isso os pais devem deixar de pesquisar. O . Na hora da compra, o Aujourd'hui en France aconselha seus leitores a comparar os preços até com produtos oferecidos pela internet.

França em 2025

O comunista L'Humanité ironizou o resultado do seminário realizado ontem no Palácio do Eliseu com a presença do presidente François Hollande e toda sua equipe de governo. O objetivo foi o de projetar a França em 2025. O L'Humanité usou um trocadilho para acusar o governo socialista de mostrar uma visão sem futuro. A reunião, segundo o jornal, foi a ilustração do impasse visto no país no último ano: austeridade, falta de uma política industrial e de emprego. A França tem que resolver problemas com urgência e agora, critica o jornal.

O Libération estampa em sua manchete uma das uniões gays que foram celebradas na França nas últimas semanas. O jornal dedicou uma extensa reportagem para informar que após a aprovação do casamento gay na França, vários casais aproveitaram as férias de verão para oficializar suas uniões estáveis. Sem escândalos nem ostentação, vários casamentos foram realizados em pequenas e grandes cidades do país, mostrando que a lei entrou no dia a dia da sociedade francesa. O presidente Hollande colocou a França no mesmo patamar de países que já legalizaram as uniões homossexuais, conclui o Libération.

Comentários