13/09/2013

Artigo: "Orgulho de ser hétero" ou o medo de perder privilégios?


Publicado pela Nossos Tons
Por Julio Marinho
 
Esta semana um amigo virtual (Alex Mendes) escreveu em seu perfil no Facebook que havia deletado alguns "amigos", porque eles curtiam uma página nesta rede social chamada "Orgulho de ser hétero". Por pura curiosidade fui verificar se também eu tinha algum "amigo" que curtia essa página, para minha desagradável surpresa, sim, eu tinha, e eram quatro os tais "amigos", não tive escolha, removi e bloqueei os indesejáveis curtidores da página de caráter homofóbico. Não demorou muito para que outro amigo, Ricardo Rocha Aguieiras, movido pela mesma curiosidade, fizesse checagem semelhante e constatasse que sua lista era ainda maior, no caso dele eram dezesseis curtidores do preconceito.
 
Aqueles que curtem ou apoiam tal movimento, têm sempre na ponta da língua o mesmo argumento raso e falacioso: "Se existem o Orgulho Gay, por que não pode ter o orgulho hétero?". Por toda carga de preconceito e perseguição, eu acho que deveriam ter vergonha, mas enfim.
 
Sim, pode parecer muito justo e correto, mas não é. Chega a ser cinismo. O "orgulho" nesse caso, só faz sentido em função do "Dia do Orgulho LGBT". Já o "orgulho hétero" não passa de demarcação e reação à data que promove o enfrentamento ao preconceito. É mera contraposição. Colocar no mesmo balaio aqueles que são alvo de opressão história e os que não são – e de boa parte dos quais parte o próprio preconceito – é a forma mais eficaz e socialmente justificada de perpetuar a discriminação. Não há verdadeiramente uma reivindicação em aberrações como o "orgulho de ser hétero". Há sim, uma defesa petulante e estreita de privilégios.
 
Para os "orgulhosos" heterossexuais, a nós, os LGBT's, já foram concedidos direitos demais, mais inclusive do que eles próprios têm. Seria cômico, se não fosse terrivelmente trágico, afinal de contas, não chegamos nem perto de termos direitos iguais. Temos inclusive alguns LGBT's que nem se deram conta ainda de que é necessário lutar pelos mesmos direitos que os da elite privilegiada da sociedade - na maioria homens brancos e heterossexuais tão acostumados com seus privilégios, que morrem de medo de perdê-los. Membros dessas organizações parecem não compreender o que significa, de fato, a igualdade. Se a gente quer realmente viver em uma sociedade mais justa, as estruturas sociais devem evoluir, os direitos devem ser distribuídos de forma homogênea e as diferenças devem ser respeitadas.
 
Onde a desigualdade tem sido a norma, as tentativas de restabelecer o equilíbrio são muitas vezes vistas como a concessão de "direitos especiais", ou de que o governo dá mais atenção para as minorias. No entanto, se olharmos honestamente para o quadro, a ideia de que os LGBT's têm mais direitos é simplesmente cínica, leviana e ridícula.
 
O que essas pessoas precisam urgentemente entender é que, o "Orgulho LGBT" visa promover a aceitação, tolerância e igualdade para Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais. Que nós temos sim, o Orgulho de enfrentarmos diariamente uma carga pesadíssima de preconceito, intolerância, agressões físicas e/ou verbais e negação de nossos direitos civis. E, o mais importante, o nosso orgulho é necessário como um contraponto à vergonha que sempre nos foi imposta.
 
 

Um comentário:

Andre Luis Araujo disse...

Acabei de deletar 7 "amigos" dessa pagina. Graças a Deus nenhum deles proximos a mim. Alguns dos quais eu gostaria de poder deletar da vida real também

Marcador Em Destaques