12/10/2013

Câncer peniano: mais de mil brasileiros têm o membro amputado por falta de higiene.


Publicado pelo Passo Firme
 
Higienização simples com água e sabão pode evitar o câncer peniano, que leva à amputação do membro
 
Todos os anos, mais de mil brasileiros são submetidos a amputação do pênis. De acordo com dados do Sistema Único de Saúde (SUS), a mutilação é causada pela falta de cuidados que faz com que o Brasil ocupe um dos primeiros lugares em câncer de pênis no mundo, perdendo para a Índia e alguns países do continente africano.
 
Para tentar mudar esse quadro e chamar a atenção da população para medidas simples que podem evitar a amputação e o câncer, como a limpeza com água e sabão, a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), em parceria com o Instituto Lado a Lado pela Vida, realizou, de 26 a 29 de setembro último, a Campanha Nacional chamada Câncer de Pênis Zero.
 
A quarta edição da iniciativa contou com textos explicativos no portal da SBU (www.sbu.org.br), posts de orientação no Facebook (www.facebook.com/SociedadeBrasileiraUrologia) e ações de atendimento ao público em cidades do Norte e Nordeste, regiões de maior incidência do problema. A campanha tem como padrinho o ex-jogador de futebol Zico, atual técnico do Al-Gharafa (Qatar).


 
De acordo com o urologista e coordenador da campanha na Bahia, Marcelo Brandão, o câncer de pênis é uma doença social e está basicamente ligada às condições de saúde e higiene.
 
“Com água e sabão e os cuidados de limpeza na glande (também conhecida como cabeça do pênis) e no prepúcio (que é a pele que recobre o pênis), o câncer e as amputações poderiam ser evitados”, completa o médico, ressaltando que, entre os circuncidados, como é o caso dos judeus nascidos em Israel, as taxas da doença chegam a quase zero.
 
“Uma pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Urologia no Maranhão, por exemplo, mostrou que, de cada 100 pacientes operados de fimose, 30% tinham câncer de pênis nos estágios iniciais”, completa o médico, ressaltando que, no Estado, a campanha vai se concentrar na sensibilização dos profissionais que atuam nos postos de saúde e no Programa de Saúde da Família para alertar a população sobre os cuidados.
 
“Em cidades do interior como Maragogipe, Cachoeira e São Felix já existe um trabalho constante de sensibilização da população, realizado ao longo de 15 anos. Na capital, estamos fechando uma parceria com o Hospital Aristides Maltez”, completa.
 
A falta de higiene e limpeza não afeta apenas a saúde de quem descuida da saúde íntima. As lesões no pênis também levam ao desenvolvimento de doença nos parceiros, facilitando, inclusive, a transmissão do papiloma vírus humano (HPV), principal responsável pelos cânceres de colo de útero, vagina, ânus, pênis e orofaringe (boca e garganta).
 
Nos últimos dez anos, inclusive, o câncer de orofaringe causado pelo HPV superou aqueles causados pelo tabagismo e pelo álcool, entre os menores de 50 anos.
 
Recomendações de Saúde Peniana da SBU
  • Lavar o pênis diariamente com água e sabão, principalmente após relações sexuais ou masturbação.
  • Ensinar ao menino, desde cedo, como fazer a higiene do pênis. É preciso puxar a pele e limpar.
  • Realizar autoexame mensalmente. Puxe a pele e verifique se há alguma lesão na região.
  • Usar preservativo nas relações sexuais.
  • Ao notar qualquer alteração no pênis, visite o urologista.
Sintomas do Câncer Peniano
O autoexame do pênis é fundamental para detectar as características apresentadas abaixo:
  • Perda de pigmentação ou manchas esbranquiçadas;
  • Feridas e caroços no pênis que não desapareceram após tratamento médico e apresentem secreções e mau cheiro;
  • Tumoração no pênis e/ou na virilha (íngua);
  • Inflamações de longo período com vermelhidão e coceira, principalmente nos portadores de fimose.

Ao observar qualquer um desses sinais, é necessário procurar um médico imediatamente.
Diagnóstico
 
O paciente apresenta inicialmente lesão vegetante ou úlcero-vegetante, que acomete inicialmente a glande (80%), prepúcio (15%) ou sulco coronal (5%). Quando diagnosticado em estágio inicial, o câncer de pênis apresenta elevada taxa de cura. No entanto, de acordo com o INCA, mais da metade dos pacientes demoram até um ano após as primeiras lesões aparecem para procurar o médico.
 
Tratamento
 
O tratamento depende da extensão local do tumor e do comprometimento dos gânglios inguinais (ínguas na virilha). Cirurgia, radioterapia e quimioterapia podem ser oferecidas. A cirurgia é o tratamento mais frequentemente realizado para controle local da doença. O diagnóstico precoce é fundamental para evitar o crescimento desse tipo de câncer e a posterior amputação do pênis, que traz consequências físicas, sexuais e psicológicas ao homem.
 
 

Um comentário:

Anônimo disse...

eu não consigo tirar todo o prepúcio pq dói mto, limpo tudo porém é mto sensível e causa um grande desconforto, oq eu faço? tenho 18 anos

Marcador Em Destaques