21/10/2013

"Infelizmente, não sou homossexual. Sou humasexual", diz Morrissey

 
Publicado pelo UOL
 
O cantor Morrissey divulgou uma nota no sábado (19) para falar abertamente sobre sua sexualidade – alvo de comentários após o lançamento de sua autobiografia, na última quarta-feira (16). O ex-líder do Smiths afirma que "infelizmente" não é homossexual.
 
Após revelar no livro, com o título de "Autobiography", seu primeiro relacionamento sério com um homem aos 35 anos -- embora ele não explicite se a convivência com o fotógrafo Jake Owen Walters era também sexual --, o cantor resolveu responder aos polêmicos comentários de que estava fugindo da questão. "Infelizmente, eu não sou homossexual", escreveu Morrissey na Suécia , em uma nota postada no site de fãs "True to You" . "Na verdade técnica, eu sou humassexual . Sou atraído por seres humanos - mas, é claro, não muitos".
 
Publicada pela reverenciada coleção de clássicos da editora britânica Penguin, que divulga trabalhos de consagrados autores como Jorge Luis Borges, Oscar Wilde e Henry James, o livro conta com mais de 800 páginas, mas, segundo alguns críticos, carece de alguns importantes capítulos.
 
Morrissey escreveu sobre a sua falta de interesse em meninas quando era adolescente e sobre uma série de estreitas amizades masculinas. "As meninas continuavam se sentindo misteriosamente atraídas por mim e eu não tinha nem ideia por que", afirmou Morrissey, que achava "muito mais emocionante" as bicicletas de corrida que seu pai tinha em casa. No entanto, o ex-líder do Smiths afirma ter considerado ter um filho com uma mulher, Tina Dehghani, que se tornou "permanente na vida".
 
"Tina e eu discutimos o ato impensável de produzir um monstro em miniatura. Já tive eu tal pensamento anteriormente?", escreveu no livro.
 
O jornal "The Guardian" relatou que o volumoso livro "está cheio de surpresas", como sua breve participação em uma telenovela britânica quando ainda era criança e sua convicção de que teria sido vítima de uma "tentativa de sequestro" em 2007 no México, da qual foi salvo por sua equipe de seguranças.
 
Nos últimos anos, Morrissey preocupou seus fãs com alguns problemas de saúde e também se envolveu em várias polêmicas, como quando qualificou os chineses de "subespécies" por sua repulsa aos maus-tratos dos animais e comparou o massacre de baleias na Noruega com "o que se passa no McDonald's", o que lhe rendeu acusações de radical e racista.
 
Apesar da autobiografia em questão não ter entrado em detalhes sobre essa questão, os fãs de cantor britânico não deixam de sonhar com uma hipotética volta do The Smiths, o quarteto de Manchester fundado por Morrissey e Johnny Marr em 1982.
 
* Com informações da EFE
 
 

Nenhum comentário:

Marcador Em Destaques