Cartunista gay explica como é namorar transhomens

 
Publicado pelo Lado Bi
 
A sexualidade humana é algo fascinante e com muito mais gradações que as simples oposições homem-mulher ou gay-hétero. Muitas vezes as pessoas acabam “arredondando” suas preferências para simplificar sua vida ou o convívio social, deixando de fazer coisas que gostariam para conseguirem se encaixar em algum estereótipo. Ou escondem o tipo de pessoa ou atividade que gosta de praticar das pessoas com que convivem para não ter que ficar dando explicações ou satisfações. Ou pura preguiça de ter que fazer o mesmo discurso mais uma vez.
 
 
Um dos matizes mais interessantes (e que mais causam dor de cabeça) são os casos de transhomens ou transmulheres que querem fazer a transição para o sexo oposto para assim conseguirem… ter relações homossexuais. A reação padrão costuma ser: “Mas se você já era mulher e já conseguia pegar homem, para que virar homem?? Pra que mudar para homem se não é para pegar mulher??? Tá louca, criatura?!?”.
 
 
Acontece que o gênero com o qual você se identifica é uma coisa, e o gênero pelo qual você é atraído é outra separada. Calha que na imensa maioria das vezes as pessoas se identificam com seu gênero de nascimento, e se sentem atraídas pelo gênero oposto. Mas você pode se sentir atraído pelo próprio gênero e curtir o gênero em que nasceu (grande parte dos homossexuais). Você se identificar com o gênero diferente do em que nasceu quer apenas dizer que você é trans. Um trans pode ser heterossexual ou homossexual. Quem diz que um trans homossexual poderia simplesmente se manter no gênero de nascimento para se envolver com o gênero de que gosta mais facilmente não entende nem o sofrimento que é viver com um corpo que não corresponde a sua identidade de gênero, nem as peculiaridades dos relacionamentos (e do sexo) gay.
 
 
Bill Roundy é um cartunista gay cis (ou seja, se identifica com o gênero de seu nascimento). Entre vários trabalhos em HQ estão alguns quadrinhos românticos gays muito fofos. Ao longo do tempo descobriu que gosta de namorar transhomens gays. Com isso, descobriu que a patrulha da sexualidade alheia vai além do que se espera: as pessoas começaram a por em dúvida a homossexualidade dele porque ele gostava de namorar “mulheres”. Depois de muito explicar sem sucesso, ele teve que desenhar. Esses quadrinhos são o resultado...
 
 

 
 

Comentários