11/01/2014

Dupla sertaneja acusada de homofobia agora faz campanha contra o preconceito

 
Publicado pelo MixBrasil
 
Depois de ter sido denunciada pela militância sobre sua música considerada homofóbica, a dupla sertaneja João Carreiro e Capataz está tentando limpar sua imagem e agora faz em seu site campanha contra a homofobia. A campanha é realizada em parceria com a Defensoria Pública do Estado de São Paulo.
 
A música em questão é “Bruto, Rústico e Sistemático”, onde os rapazes cantam que acham um absurdo ver dois homens ou duas mulheres se beijando e trocando carícias, e dizem ainda que ninguém vai mudar esse jeito deles. O alerta foi dado no dia 2 de fevereiro de 2012, pela ONG ABCDS, de Santo André (SP).
 
Frente a isso, a Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Travestis e Transexuais (ABGLT) enviou um ofício à Defensoria solicitando providências. Deu certo, a dupla colocou em seu site uma mensagem divulgando o Disque 100, do Governo Federal, e se dizendo contra qualquer tipo de discriminação.
 
Confira a mensagem:
 
“A liberdade de exercício da sexualidade e o respeito às diferenças, assim como a liberdade de expressão e religiosa são direitos fundamentais que devem ser garantidos pelo Estado e observados por todos. No entanto, há situações nas quais esses direitos entram em conflito. Nesses momentos, eles devem ser equilibrados, para que seja assegurada a dignidade humana de todas as pessoas.
 
Mesmo diante da previsão desses direitos na Constituição e da ampla divulgação da necessidade de respeito à diversidade, há ainda quem possua preconceitos, que podem se transformar em atitudes discriminatórias. A homofobia é expressão inaceitável desses preconceitos, que pode ocasionar violências verbal, física e psicológica contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, lesando direitos fundamentais.
 
Diante disso, a dupla João Carreiro e Capataz, em parceria com a Defensoria Pública do Estado de São Paulo, entende necessário expor sua postura contra qualquer tipo de discriminação, inclusive homofóbica. Como figuras públicas cientes de sua responsabilidade social, pretendem contribuir para a conscientização de todas cidadãos e todos cidadãos quanto ao dever de respeitar as diferenças e a liberdade de todos. A dupla abomina qualquer tipo de violência, desrespeito, agressão e discriminação, em virtude da orientação sexual e da identidade de gênero, e recomenda o absoluto respeito ao direito à diversidade.”
 
 

Nenhum comentário:

Marcador Em Destaques