Escoteiros dos EUA aceitarão jovens gays na associação

 
Publicado pelo G1
 
A União dos Escoteiros dos Estados Unidos aceitará jovens homossexuais em suas fileiras, a partir desta quarta-feira (1°), uma mudança criticada por uma parte do movimento.
 
Durante duas décadas, a associação proibiu expressamente o ingresso de jovens gays, ao contrário de outras organizações mais abertas, como a das bandeiras, que aceitam lésbicas.
 
Em maio passado, com 61% dos votos favoráveis na assembleia geral dos escoteiros americanos, decidiu-se pela suspensão dessa proibição, a partir de 1o de janeiro de 2014. A proibição se mantém para o caso dos adultos que são do quadro de funcionários. "Estimamos que toda criança merece ter a chance de fazer parte dos Escoteiros", explicou o diretor de Relações Públicas da organização, Deron Smith, em um e-mail à AFP.
 
A União dos Escoteiros dos Estados Unidos (BSA, na sigla em inglês), uma associação fundada em 1910, reúne 2,6 milhões de jovens rapazes. Mais de 1,5 milhão de seus membros tem entre 7 e 11 anos.
 
Pelo menos 70% das organizações integrantes dos BSA são religiosas, e essa nova política desperta críticas internas. A Igreja mórmon explicou que aceitará a presença de homossexuais sempre e desde que respeitem 'certos padrões' que incluem 'a abstinência em matéria de relações sexuais'.
 
Associações como a Tropa 835, de Auburn, no estado de Washington (noroeste), cujos membros adultos estimam que a homossexualidade é contrária aos preceitos bíblicos, decidiram se afastar dos BSA.
 
 

Comentários