06/01/2014

Record diz que cenas de sexo cortadas de Spartacus foram decisão da distribuidora

 
Publicado pelo MixBrasil
 
Após a Record anunciar a compra dos direitos de transmissão da famosa série norte-americana "Spartacus" em 2013, houve especulações dos fãs da série sobre possíveis cortes feitos pela emissora - que vende boa parte da sua programação para a igreja evangélica. A exibição começou no último domingo, 5 de janeiro, depois das 23h15, e os telespectadores já começaram a reagir à censura feita na exibição brasileira em cenas de nudez, sexo (inclusive gay) e violência.
 
De acordo com a coluna de televisão do jornalista Mauricio Stycer, a Record diz que “a edição das cenas ocorreu por uma questão de adaptação ao público da TV aberta. Em relação aos minutos cortados, é difícil saber quantos deixaram de ser exibidos”. Horas depois, a emissora deu outra justificativa dizendo que ela exibiu “a versão oferecida pela distribuidora para a televisão aberta”.
 
Exibida nos Estados Unidos entre 2010 e 2013, a série “Spartacus” ficou marcada pelas fortes cenas sensuais, nu frontal e de violência ao longo da sua história. Para alguns fãs a impressão da exibição é de que “estava assistindo uma edição especial que poderia passar na ‘Sessão da Tarde’”.
 
A Record também comprou os direitos de exibição da série “Breaking Bad”, que já começa a ser transmitida no próximo dia 14, também às 23h15. A emissora não se pronunciou sobre possíveis cortes.
 

Nenhum comentário:

Marcador Em Destaques