Ian Matos, atleta do Flu que assumiu homossexualidade, assina com grife internacional

Por Felipe Martins
Visto em O DIA
 
 
O atleta dos saltos ornamentais Ian Matos firmou parceria com a grife espanhola ES Collection para ser um dos modelos da marca no Brasil. O acordo firmado na última quarta-feira (5) com a representação da marca no país ocorre dois meses após a entrevista concedida ao BLOG LGBT em que revelou publicamente a homossexualidade.
 
Ele se torna o primeiro atleta homossexual brasileiro a contar com o apoio exclusivo de uma marca. “Acredito ser uma quebra de paradigma, mas acima da minha orientação sexual está meu desempenho como atleta, onde tenho que reforçar sempre, que é o mais importante”, disse o paraense que defende as cores do Fluminense.
 
A grife vai colaborar com o fornecimento de material esportivo para o uso durante os treinos, além de roupas para o uso nas viagens pelo Brasil e exterior. Nas competições em que não estiver representando a seleção brasileira, que usa material de outra marca, o saltador usará a sunga da marca espanhola.
 
Presente em 20 países, a maioria na Europa, a ES tem na moda íntima um de seus apelos comerciais. Matos já conversou com a representação da marca no Brasil sobre a possibilidade de estampar anúncios da marca usando apenas cueca. “Conversamos sobre possíveis ensaios para promover a marca e a parceria e, se eles acontecerem, não vou ficar tímido não”, garantiu.
 
Ele embarca nesta quarta-feira (12) para o Chile onde disputa os Jogos Sul-Americanos em Santiago. “Vou saltar o Trampolim de 3 metros. Minha meta é ultrapassar os 400 pontos, que é uma marca pessoal, o que pode vir disso não vai depender só de mim.”
 
O representante da ES Collection no Brasil, Germano Neto, declarou que a grife não levou em consideração a orientação sexual do atleta para fechar a parceria. “A marca não está preocupada se ele é gay ou é hétero, isso é apenas um detalhe na vida de cada um”, afirmou.
 
Na entrevista concedida ao BLOG LGBT no mês de janeiro, Matos abriu o jogo sobre sua orientação sexual antes mesmo de contar aos pais. Cerca de um mês depois da publicação, ao procurá-los para falar do assunto, o atleta recebeu o apoio tanto do pai como da mãe. “Eles disseram apenas para eu me cuidar”, resumiu.


 

Comentários