"Sim, sou gay e cristão" Por Allan Johan

 
Por Allan Johan
Visto na Revista Lado A
 
Tem gente que tem uma idéia errada dos gays. Acha que fomos feitos em formas e somos todos iguais. O mesmo vale para as pessoas de fé. Tem gente que acha que todos são intolerantes ou vítimas de lavagem cerebral. Todos nós temos direito a ter nossas convicções e a mudar e evoluir. Mas ninguém tem o direito de nos julgar em nossa caminhada de auto conhecimento, onde erros e acertos são inevitáveis e necessários. Conheço muitos gays cristãos que não encontram espaço para continuarem a sua fé. Eu encontrei o meu e estou muito feliz. Mas é triste ver homossexuais sendo condenados e aprendendo a se odiar por causa da fé dos pais, parentes ou de pastores e até padres.
 
Parte de nossa herança, de quem somos, vem de nossos pais, do ambiente em que fomos criados, onde escrevemos nossos preconceitos e conceitos no livro da nossa história pessoal. Para evoluir precisamos sempre reavaliá-los. Nem sempre o que aprendemos é o certo ou ideal para nós e cabe a nós acharmos nosso caminho. O importante é ser feliz, fazer o bem e colaborar para um mundo melhor. E, acima de tudo, ajudar os outros a serem felizes, a espalhar o amor em forma de ações e não as letras ou palavras de outros.
 
Esses valores eu recebi na minha formação cristã. Batizado, frequentei escola salesiana toda a minha vida, acredito em Deus como energia criadora do universo, desenvolvi minha concepção de “verdade”. Li a Bíblia duas vezes, diversos livros espíritas, budistas, tive a oportunidade de vivenciar diferentes culturas por meio de viagens, amizades e leitura. Desde cedo descobri que não existe apenas um Deus no mundo, mas Deus é único como princípio de fé, de força transformadora, de amor.
 
Todos nós temos o direito a pensar como quisermos, a fazer o que quisermos em nossas casas, mas devemos ter muito cuidado com o que entregamos ao outro. Primeiramente temos as leis públicas a seguir e depois nossas convicções, entre elas as religiosas. Ninguém tem o direito de menosprezar a existência do outro. Tenho muitos amigos ateus. Acho válido, se isso faz bem para eles. Na verdade quando avaliei o meu ponto de vista sobre a existência de Deus, percebi que o melhor é acreditar e parei de duvidar da minha fé, pois é algo bom para mim.
 
Eu tenho um cartão postal do Papa Francisco em minha sala (acredite, é verdade), porém, quando Bento XVI assumiu eu não queria mais ser católico. Um papa que condenava abertamente aos homossexuais não poderia ser um bom pastor para mim. Peguei a imagem do Papa na casa de minha irmã, ela estranhou quando eu pedi mas me deu. Eu vou à missa poucas vezes mas rezo todos os dias antes de dormir. Um hábito que desenvolvi e que não consigo me desfazer. Me faz bem, então me fortalece, mas nem por isso prego aos outros. O mesmo vale para a minha sexualidade. Cada um sabe e deve ser livre para descobrir o que lhe faz bem, precisamos nos conhecer e saber o que nos faz uma pessoa melhor e feliz. O custo e o benefício deve ser avaliado de um ponto de vista a longo prazo, infinito e transcendente. Cada um deve ter a sua verdade e se você precisar pregar isso como verdade para o outro, é sinal de que está em dúvida.
 
Não acredito em milagres e nem em Juízo Final. Para mim, ele é feito todos os dias, pela lei do retorno de nossas ações e o milagre está nas pequenas coisas. Mas não me importaria se fosse surpreso, pois não deixo de me preparar, mesmo com um pensamento diferente. Eu vejo a criação todos os dias, então não preciso de igreja para fazer o intermédio. Agradeço e ofereço e peço perdão todos os dias. Pois cada dia é um novo recomeço sob a inspiração do cosmo criado por Deus. Cristo para mim é um exemplo, não me importa se ele de fato existiu ou não, a mensagem existe e é linda para quem sabe entender.
 
Sou gay, cristão, e lamento as pessoas que usam a Bíblia para exercer um pecado maior, que é o de julgar e subjulgar o próximo, jogar pedras, promovendo a infelicidade alheia, interferindo na caminhada do irmão, apontando que seu caminho é o correto. Acredito na lei do retorno, na energia qual nos conectamos, então fico feliz por estas pessoas. Quem julga será julgado, essa demonstração de ignorância levará ao entendimento, pela dor, pela vida, pelo girar do mundo. Pois o cosmo tem um sentido, e ele gira para separar o caos e gerar a ordem, é metafísico. Cada um leva o tempo necessário para evoluir. Não acredito em outras vidas. Para mim, viramos energia. Passada a prisão física, nos conectamos à criação e somos eternos e insignificantes. Se eu me surpreender, será algo bom também. Não vivo por medo ou por regras mas pela minha consciência de estar fazendo o meu melhor todos os dias, com todas as pessoas. Essa foi a mensagem que eu adotei.
 
Como gay, tenho uma vida feliz, regrada nos meus limites e escolhas. Não julgo os outros. Não sou melhor do que ninguém, mas encontrei o meu equilíbrio e o que eu queria para a minha vida. Uma frase que gosto é: “o caminho é sempre longo para quem não sabe onde quer chegar”.
 
Costumo brincar que o meu Deus é tão poderoso que tudo é possível. Não tento entender e nem julgar a Deus ou o que surge na minha vida. Como disse, consigo ver Deus. Principalmente onde a maioria das pessoas não consegue. Quando vejo alguém falando por Deus, logo penso, o cara vai se ferrar “se Deus mudou de idéia”. Sim, pois Deus para mim pode tudo, inclusive se arrepender ou escrever por linhas tortas, propositalmente.
 
A fé é uma dádiva, mas em tempos em que vemos muitos pregando e apontando dedos aos homossexuais, separei uma linda passagem da Bíblia que fala de tolerância, fé e julgamento alheio:
Romanos 14

1 Aceitem o que é fraco na fé sem discutir assuntos controvertidos.

2 Um crê que pode comer de tudo; já outro, cuja fé é fraca, come apenas alimentos vegetais.

3 Aquele que come de tudo não deve desprezar o que não come, e aquele que não come de tudo não deve condenar aquele que come, pois Deus o aceitou.

4 Quem é você para julgar o servo alheio? É para o seu senhor que ele está em pé ou cai. E ficará em pé, pois o Senhor é capaz de o sustentar.

5 Há quem considere um dia mais sagrado que outro; há quem considere iguais todos os dias. Cada um deve estar plenamente convicto em sua própria mente.

6 Aquele que considera um dia especial para o Senhor assim o faz. Aquele que come carne para o Senhor come, pois dá graças a Deus; e aquele que se abstém para o Senhor se abstém, e dá graças a Deus.

7 Pois nenhum de nós vive apenas para si, e nenhum de nós morre apenas para si.

8 Se vivemos, vivemos para o Senhor; e, se morremos, morremos para o Senhor. Assim, quer vivamos, quer morramos, pertencemos ao Senhor.

9 Por esta razão Cristo morreu e voltou a viver, para ser Senhor de vivos e de mortos.

10 Portanto, você, por que julga seu irmão? E por que despreza seu irmão? Pois todos compareceremos diante do tribunal de Deus.

11 Porque está escrito: " 'Por mim mesmo jurei', diz o Senhor, 'diante de mim todo joelho se dobrará e toda língua confessará que sou Deus' ".

12 Assim, cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus.

13 Portanto, deixemos de julgar uns aos outros. Em vez disso, façamos o propósito de não pôr pedra de tropeço ou obstáculo no caminho do irmão.

14 Como alguém que está no Senhor Jesus, tenho plena convicção de que nenhum alimento é por si mesmo impuro, a não ser para quem assim o considere; para ele é impuro.

15 Se o seu irmão se entristece devido ao que você come, você já não está agindo por amor. Por causa da sua comida, não destrua seu irmão, por quem Cristo morreu.

16 Aquilo que é bom para vocês não se torne objeto de maledicência.

17 Pois o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, paz e alegria no Espírito Santo;

18 aquele que assim serve a Cristo é agradável a Deus e aprovado pelos homens.

19 Por isso, esforcemo-nos em promover tudo quanto conduz à paz e à edificação mútua.

20 Não destrua a obra de Deus por causa da comida. Todo alimento é puro, mas é errado comer qualquer coisa que faça os outros tropeçarem.

21 É melhor não comer carne nem beber vinho, nem fazer qualquer outra coisa que leve seu irmão a cair.

22 Assim, seja qual for o seu modo de crer a respeito destas coisas, que isso permaneça entre você e Deus. Feliz é o homem que não se condena naquilo que aprova.

23 Mas aquele que tem dúvida é condenado se comer, porque não come com fé; e tudo o que não provém da fé é pecado.
 

 

Comentários

  1. Participe da igreja cristã contemporânea, nós vivemos o que pregou Jesus, ame e não faça acepção de pessoas. #iccp

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Respeitamos opiniões contrárias às postagens contidas nesse site, mas solicitamos que evitem utilizar esse espaço para fazer propagandas, incluir conteúdos que não tenham vínculo com as postagens ou que visem agredir quem quer que seja. Obrigado!