20/06/2014

Suprema Corte de Porto Rico nomeia sua primeira advogada abertamente lésbica


Publicado pela Global Voices
O governador do Porto Rico Alejandro García Padilla nomeou Maite Oronoz Rodríguez para ocupar um cargo na Suprema Corte de Porto Rico, fazendo dela a primeira advogada abertamente lésbica a ter sido escolhida para o órgão judicial mais poderoso do país. Se confirmado, Oronoz Rodríguez também será a mais alta membro do ranking da comunidade LGBT no Poder Judiciário do governo de Porto Rico e a quinta mulher a servir no Supremo Tribunal Federal.
A orientação sexual de Oronoz Rodríguez veio à tona quando ela mesma agradeceu publicamente sua parceira Gina Méndez por seu apoio. O momento foi capturado no video a seguir, no Noticias 24/7, que cobriu a conferência na qual foi anunciada a sua nomeação:

 

No Twitter, muitas pessoas elogiaram a honestidade de Oronoz Rodríguez, entre elas o jornalista Benjamín Torres Gotay:
O ato de Maite Oronoz de agradecer publicamente sua parceira é um gesto de extraordinária coragem.
Com esta nomeação, vinda em seguimento a medidas aprovadas no ano passado estendendo maior proteção legal para casais do mesmo sexo, o governo de García Padilla está claramente tentando distanciar-se da hostilidade mostrada para com a comunidade LGBT pelo governo anterior de Luis Fortuño, do Partido Nuevo Progressista (PNP) [Novo Partido Progressista]. Alguns dos discursos de ódio mais virulentos contra a comunidade LGBT foram feitos por políticos do PNP, talvez o mais famoso seja o do ex-líder do Senado Thomas Rivera Schatz.
Para ser confirmada como magistrado, Oronoz Rodríguez ainda terá que passar pelo crivo de uma audiência no Senado, que é atualmente controlada pelo governador García Padilla, do Partido Popular Democrático. Ativista dos direitos LGBT, Pedro Julio Serrano pediu ao Senado que confirmasse sua presença e parabenizou ela e sua parceira via Twitter:
Parabenizo Maite Oronoz e Gina Méndez por viverem abertamente seu amor. Por amar tanto esta pátria e por amarem-se livremente. Que orgulho!
O fato de Oronoz Rodríguez decidir revelar sua orientação sexual é encorajador, uma vez que figuras públicas proeminentes geralmente escolhem não o fazer, por medo de a sua nomeação ser rejeitada. Se a nomeação for confirmada, será interessante ver quais decisões futuras serão processadas ​​pelo Supremo Tribunal Federal, uma vez que a última administração nomeou seis juízes conservadores, alguns dos quais se mostraram abertamente contra o casamento e a adoção por casais do mesmo sexo.
No entanto, vale a pena chamar a atenção para o artigo escrito por Érika Fontanez Torres para a revista digital 80 Grados, em abril passado:  
Cada vez que surge uma vaga no Tribunal Supremo de Porto Rico, nomes não mencionados. Normalmente, os nomes estão ligados à sua trajetória no partido no poder, alguns herdeiros de famílias tradicionalmente no poder, localizadas em alguns dos lugares comuns do chamado sucesso na profissão. Ninguém é neutro. Sua carreira, a maior parte do tempo, tem sido “limpa”. Mas esta limpeza custa caro, pois geralmente está ligada a uma prática que, apesar de “bem sucedida” dentro dos parâmetros da profissão, tem sido deliberadamente cautelosa em não perturbar muito a situação de injustiça de coisas vigentes ou até mesmo em mantê-las.
Veja direto na Global Voices

Nenhum comentário:

Marcador Em Destaques