Padre ortodoxo russo diz que Copa no Brasil é uma “abominação homossexual”


Visto no Jornal Opção

A despeito da goleada alemã sobre a seleção brasileira, um padre ortodoxo russo está mais preocupado com outros aspectos da Copa do Mundo. Alexander Shumsky declarou que a competição sediada no Brasil reflete um “estado moral terrível na humanidade”.

De acordo com ele, o fato de alguns jogadores utilizarem chuteiras azuis, amarelas, verdes ou rosas são evidências da promoção de uma “tendência gay”. “Usar sapatos rosas ou azuis é a mesma coisa que usar calcinha ou sutiã”, disse o padre. Ele também não perdoou o corte de cabelo de alguns jogadores, que classificou como “impensáveis”.

“A ideologia liberal do globalismo quer claramente que o futebol se oponha ao cristianismo. Tenho certeza disso. Por isso, estou feliz que os jogadores russos tenham perdido e, pela graça de Deus, já não participem desta desonra homossexual”, escreveu o padre em sua coluna no site Русская народная линия (Linha nacional russa).

A Rússia deixou a Copa ao ser eliminada na primeira fase, com apenas dois pontos no grupo G. A seleção daquele país sofeu uma derrota contra a Bélgica e empatou com a Argélia e a Coreia do Sul.

A Rússia é conhecida por sua homofobia estatal. Há leis contra a liberdade e a cidadania da população LGBT , e as autoridades, governamentais e religiosas, fazem vista grossa aos inúmeros casos de violência física e psicológica sofridas por essa minoria.

A Rússia vai ser sede da Copa em 2018.

Veja direto no Jornal Opção

Comentários

  1. Baseado no que ele tá usando, podemos ver que o tal entende mesmo de moda e abominação. Valha-me Deus com uma barba dessa! Gostaria de chegar perto dele só pra jogar um piolho naquilo. KKKKKKKKK

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Respeitamos opiniões contrárias às postagens contidas nesse site, mas solicitamos que evitem utilizar esse espaço para fazer propagandas, incluir conteúdos que não tenham vínculo com as postagens ou que visem agredir quem quer que seja. Obrigado!