25/08/2014

"Professor gay compartilha carta de agradecimento de aluno hétero" Por Marcio Caparica

 
Por Marcio Caparica para o Lado Bi
 
Quatro anos depois de sair do armário para a escola toda, David Weston recebeu e-mail de ex-aluno
 
David Weston era um professor de ensino médio numa escola na cidade de Hertfordshire, na Inglaterra. Em 2010 ele decidiu sair do armário num evento da escola, depois de lutar por quatro anos contra uma doença de fígado rara. “Eu precisei fazer um transplante”, ele contou ao jornal britânico Metro. “Enquanto eu me recuperava no hospital, eu decidi tomar uma atitude que fizesse diferença. Todos na escola apoiaram minha decisão, e a reação foi muito positiva.”
 
Quatro anos mais tarde, o professor pôde atestar a importância que seu gesto teve na vida de seus alunos ao receber um e-mail de agradecimento de um aluno hétero. Weston compartilhou a mensagem em sua conta no Twitter.
 
Olá David,
 
Eu sei que você provavelmente não vai se lembrar de mim, mas quando eu estava no ano 7 (2004) você foi meu orientador-assistente no Ensino Médio, e eu estava no último ano durante sua segunda temporada lá na escola Watford Grammar.
Eu só queria que você soubesse como foi inspirador o dia que você se declarou para toda a escola, e como ele teve um impacto positivo. Eu sou um homem heterossexual, mas sempre fui proativo na luta contra a homofobia.
 
Eu sei que essa mensagem parece meio sem sentido, mas eu realmente acho que você deveria saber que você desafiou a ignorância de muitas pessoas naquele dia, e que se todos os professores gays compartilhassem da sua coragem, o mundo seria um lugar muito melhor – não apenas para gays, mas para todos. Obrigado por isso.
 
Apesar de não terem bem como te contarem isso, muitos dos alunos ganharam muito respeito por você por causa do que você fez – nós nunca havíamos visto antes um professor cumprir com tanta honestidade a função para que fora contratado – a função de ensinar.
 
Eu vou levar comigo essa memória pelo resto da vida. Obrigado
 
O twit de Weston já foi compartilhado mais de 4 mil vezes, e rendeu-lhe aparições em telejornais britânicos. Hoje Weston trabalha numa ONG para educar professores, a Teacher Development Trust. Ele declarou ao jornal Watford Observer: “Ninguém deveria ser forçado a esconder quem é no trabalho. Como professores, nós estamos dando notas, preparando aulas – não há descanso. Mas também somos exemplos, e nós temos que dar o exemplo aos jovens em nossas escolas ao sermos confortáveis com a nossa própria pessoa, felizes e confiantes.”

Nenhum comentário:

Marcador Em Destaques