"A vergonhosa indústria gospel de boatos" Por Hermes C. Fernandes

 
 
É constrangedor constatar a que ponto o arraial gospel brasileiro chegou. Os que se dizem portadores da verdade libertadora do evangelho agora recorrem à mentira deslavada para assegurar a eleição de seus candidatos no próximo pleito.
 
No início desta semana, surgiu a notícia de que uma mãe teria confessado ser lésbica e amante de sua própria filha. Isso se alastrou como fogo em capim seco. A cada vez que a notícia fake era compartilhada, comentários do tipo "isso é o fim do mundo" vinham acompanhados de mensagens de apelo para que a igreja se manifestasse contrária a esta deturpação da família apoiando candidatos evangélicos, arautos dos valores familiares.
 
Logo que li a notícia, tive a impressão que se tratava de mais um boato, mas preferi não me manifestar. Até que hoje chegou-me outro artigo revelando que a notícia se tratava mesmo de um hoax.
 
Mesmo compartilhando a informação, sei que será impossível desfazer o mal que esta mentira causou, divulgando inclusive a foto de mãe e filha que nada têm a ver com isso.
 
Outra notícia fake que se alastrou pela internet afirmava que durante entrevista à rádio CBN, o deputado federal Jean Wyllys, desafeto dos ilustres deputados da bancada evangélica, teria afirmado que a pedofilia teria papel fundamental no desenvolvimento sexual da criança. Ele teria dito em cadeia nacional de rádio: “Precisamos abrir nossas mentes. O pedófilo pode ter papel fundamental no desenvolvimento sexual do menino, ensinando uma sexualidade sadia e livre de preconceitos. A etimologia da palavra pedófilo em grego quer dizer ‘Amigo da criança.”
 
Obviamente, o texto gerou revolta entre as pessoas mais conservadoras. No período em que houve uma grande disputa entre Wyllys e o deputado Marco Feliciano dentro da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara (CDHM), o boato ganhou força avassaladora.
 
A própria CBN veio a público denunciar a calúnia que vem circulando nas redes sociais contra o deputado do PSOL. Segundo a emissora, tal declaração nunca foi feita na CBN.
 
O referido deputado também negou que tenha dado tal declaração, e afirmou tratar-se de uma campanha difamatória contra ele.
 
Não é a primeira vez que o deputado enfrenta uma onda de difamações como esta. Além de ser acusado de apoiar a pedofilia, é possível encontrar textos afirmando que Wyllys teria dito que cristãos são doentes, que a Bíblia é uma piada, entre outras acusações.
 
O fato de discordarmos de algum posicionamento de alguém não nos confere o direito de difamá-lo. A verdade jamais precisou recorrer à mentira. Aliás, segundo Jesus, o pai da mentira é ninguém menos que o diabo. Portanto, quem assim procede faz-se filho do dito cujo.
 
Antes de compartilhar algo em suas redes sociais, procure saber as fontes. Mesmo que tenha sido divulgado por algum grande canal, não significa que seja verdadeiro.
 
Será que Jesus espalharia boatos contra Herodes e Pilatos para fazer prevalecer a verdade do evangelho?

Comentários

  1. Ótimo texto! Claro, direto e educativo. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. O problema é a igreja e esses bitolados cristãos quererem cuidar do cú e do pinto alheio, instigados pela sagacidade de um deusin que nem existe, se você postar na internet que o presidente dos EUA deu a bunda, eles acreditam, pois não são capazes de pensar por si só.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Respeitamos opiniões contrárias às postagens contidas nesse site, mas solicitamos que evitem utilizar esse espaço para fazer propagandas, incluir conteúdos que não tenham vínculo com as postagens ou que visem agredir quem quer que seja. Obrigado!