30/12/2014

Esta carta-depoimento de um ex-homofóbico vai te fazer chorar: "Me perdoem pela ignorância de quase uma vida"

 
Por Thiago Araújo para o Brasil Post
 
Publicada há pouco mais de uma semana pela Veja Brasília, a reportagem Território Livre mexeu realmente com os leitores da revista. Na edição lançada no dia 22 de fevereiro de 2014, a seção de cartas dos leitores deu destaque para este depoimento emocionante publicado no Facebook da revista.
 
 
Não é fácil abrir o meu coração, pois meus oito filhos, seis netos, irmãos, vizinhos e amigos vão ler (“Território livre”, 19 de fevereiro). Tenho 62 anos, sou militar da reserva e fui criado em uma sociedade em que homem gosta de mulher. Confesso que eu e mais seis amigos demos porrada em um homem em 1972 porque ele tinha tendências homossexuais. Preferia os gays lá e eu cá. Hoje, percebo quanto fui rude e idiota. No Natal do ano passado, meu neto de 18 anos assumiu na ceia que é homossexual. Foi um choque. Minha mulher, a mãe dele e eu passamos a ler muitos livros para entendê-lo. Nada, porém, foi tão esclarecedor quanto ver a foto daquela família reunida no altar com um casal de rapazes. A alegria das crianças naquele cenário de amor é uma bênção e ao mesmo tempo um tapa na minha cara. Chorei muito. Para entender o que se passa, basta ler uma frase na revista: “(Ser homossexual) é tão natural quanto o pôr do sol”. Que o Senhor e minha família me perdoem pela ignorância de quase uma vida. Meu neto, eu te amo.

Raimundo Nonato Oliveira Campos

2 comentários:

Mika da Silva disse...

Ainda há esperança! <3

Sergio Viula disse...

Que bom! Mas o que foi mesmo que mudou a cabeça desse homem? A coragem de um neto que saiu do armário, que se colocou com orgulho e coragem. Se ele tivesse ficado escondido pelo resto da vida, essa carta nunca teria sido enviada à revista e essa matéria não seria lida agora por tanta gente feliz em ver o resultado.

Viver fora do armário faz toda a diferença.

Sergio Viula
www.foradoarmario.net

Marcador Em Destaques