Discurso gay, Gaga ressuscitando, cueca e ausência de palhaçadas: esse foi o Oscar 2015

Por Virgula
 
Discurso gay, Gaga ressuscitando, cueca e ausência de palhaçadas: assim se foi mais um Oscar. A 87ª edição do prêmio mais famoso do cinema terminou na madrugada desta segunda (23), depois de 3h40min de duração.
 
E quem roubou a cena foi… Lady Gaga. A cantora, atualmente em fase de decadência pop (pois já não é notícia constante como nos áureos tempos de 2008, 2009, 2010 e 2011), surpreendeu muita gente ao cantar um medley de canções do clássico A Noviça Rebelde (1965), filme que completa 50 anos.
 
Gaga mostrou que, antes de mais nada, é uma grande cantora, e foi muito aplaudida, recebendo na sequência Julie Andrews, a intérprete original da noviça Maria, protagonista do filme.
 


Vale lembrar que antes desse momento, Gaga estava sendo bastante zoada pelos internautas por causa de seu modelito um tanto… sem charme, parecendo que ia fazer faxina em algum lugar.
 
 
Outro modelito que rendeu comentários foi o de Scarlett Johansson. A diva apostou no verde. Lacou, miga.
 
 
O host da noite, Neil Patrick Harris, não agradou muito e fez uma apresentação insossa e sem charme. Apesar de abrir a noite com um número musical potente e emocionante (onde demonstrou seus dotes musicais, já notórios – pois ele é ator e cantor premiado, inclusive na Broadway), Neil foi, na sequência, bastante “padrão”. Nem aprontou as loucuras de Ellen DeGeneres, apresentadora do ano passado (que “inventou” a selfie e pediu uma pizza). A exceção: o momento em que Neil homenageou uma cena do filme Birdman e surgiu de cueca branca no palco. Aí sim, o povo aplaudiu a forma física do moço.
 
 
Um momento inesperado acabou sendo o discurso de Graham Moore, jovem roteirista de 33 anos, vencedor do Oscar de Melhor Roteiro Adaptado por O Jogo da Imitação. Ele revelou que quando tinha 16 anos, tentou se matar. O motivo: se sentia estranho, diferente. Ficou claro que essa diferença vinha do fato dele ser… gay. “Eu quero dizer: se você se sente estranho, diferente, sem se encaixar… sim, você se encaixa”, disse ele. “Eu prometo que você se encaixa. Seja estranho, seja diferente, e sua vez vai chegar, então por favor passe essa mensagem para as pessoas”.
 
Os grandes vencedores da noite foram Birdman e Grande Hotel Budapeste, com 4 Oscars cada, e Whiplash, com 3 Oscars. Os “injustiçados”: Michael Keaton, que perdeu para Eddie Redmayne, e Boyhood, que só levou um Oscar (Atriz Coadjuvante para Patricia Arquette).
 
PRINCIPAIS PREMIADOS:
 
Ator Coadjuvante J.K. Simmons “Whiplash”
Atriz Coadjuvante Patricia Arquette “Boyhood”
Roteiro Original “Birdman”
Roteiro Adaptado “O Jogo da Imitação”
Diretor Alejandro Gomez Iñarritu “Birdman”
Ator Eddie Redmayne “A Teoria de Tudo”
Atriz Julianne Moore “Still Alice”
Filme “Birdman”
 

Comentários