Republicano é arrancado do armário nos EUA depois de mandar fotos pelo Grindr


Visto no Mix Brasil

Conhecido por suas posições conservadoras com relação aos LGBT, o republicano Randy Boehning (Dakota do Norte) votou no começo do mês contra a lei que iria evitar que a orientação sexual pudesse ser usada nas decisões relacionadas com o emprego e arrendamento de casas, mas agora está no centro de um escândalo, por ter sido descoberto que é homossexual e que está inscrito num site de encontros gay.

A revelação foi feita por Dustin Smith, de 21 anos, que contou a um jornal local que, em março, Randy lhe tinha enviado duas fotos do pênis. "Como pode discriminar as pessoas que tenta encontrar?", perguntou o usuário do Grindr, que acusa o político de hipocrisia.

Randy já comentou a situação e revelou que alguns amigos próximos sabiam que ele era gay, mas recusou as acusações de atitude inapropriada por enviar as imagens. "É o que se faz nos sites gays, não é?", questionou.

Boehning considera que esta revelação é uma retaliação contra o seu voto, mas afirma que está aliviado, por já não ter de pensar que um dia seria descoberto. No entanto, não se arrepende do voto e considera que está a ser coerente, já que os seus eleitores são contra a lei que também iria impedir a discriminação baseada na etnia, cor, religião, sexo, idade ou baseada em deficiências físicas ou psicológicas.

A situação não é nova e já atingiu, por várias vezes, republicanos conservadores que votam contra leis que dão direitos iguais aos homossexuais, mas que, no fim de contas, acabam por assumir que também eles são gays. Phill Hinkle, antigo membro da Casa dos Representantes de Indiana, foi descoberto, em 2011, combinando um encontro no "Craiglist" com um homem de 18 anos, a quem tinha pago por sexo.


Veja direto no Mix Brasil

Comentários