06/06/2015

Claudio Lins interpretará um gay em 'Babilônia': 'Longe de ser meu limite'


Visto no EGO

Ator conta que não teria problema em beijar outro homem: 'Beijo meu pai, meu filho e amigos na boca. Nem por isso virei gay'.


Um novo personagem entrará nos próximos capítulos de "Babilônia" para mexer com a vida de Ivan (Marcello Melo Jr). Sérgio, irmão de Carlos Alberto (Marcos Pasquim), será contratado por Evandro (Cassio Gabus Mendes) para trabalhar na construtora Souza Rangel e acabará se envolvendo com o instrutor de slackline.

Longe da Globo desde "Sabor da Paixão" (2002), Claudio Lins - que é filho da atriz Lucinha Lins com o cantor Ivan Lins - foi convidado para interpretar o papel. "Estou muito feliz com o retorno, tenho grandes amigos na emissora", festeja o ator, em entrevista ao EGO. As gravações devem começar na próxima semana.

"É um trabalho desafiador calcado numa polêmica que infelizmente ainda existe. Mas é um desafio que não me mete medo", garante Claudio, que já interpretou homossexuais no filme "Teu Olhos Meus" (2011) e na série "Questão de Família", do canal GNT.
O ator afirma que daria um beijo em Marcello Melo Jr. em cena sem problema, se fosse preciso. "Isso não é nada de mais. Entendo perfeitamente que os atores possuem seus limites, mas beijar outro homem, para mim, está bem longe de ser o meu limite", afirma ele, que tem o hábito de dar selinhos em familiares e amigos.
"Beijo meu pai na boca desde criança, beijo meu filho também e alguns amigos. Mas é óbvio que não é um beijo de amor. Não tem nada demais e nem por isso virei gay. Não é isso que vai determinar a orientação sexual de uma pessoa", afirma.
Segundo ele, o gesto não confunde o pequeno Mariano, de 2 anos, fruto do casamento do ator com Alexandra Di Calafiori: "Ensinamos para ele que beijo na boca é só com o papai e a mamãe. Na escola, só na bochecha. Na boca, ele não beija nem as amiguinhas de classe. Com o passar dos anos, aí sim ele vai poder escolher quem vai querer beijar na boca".
Mudança na trama
O personagem Sérgio já estava previsto na sinopse original de "Babilônia". Só que, inicialmente, ele seria um motorista de Teresa (Fernanda Montenegro) e entraria na novelaquando o romance de Carlos Alberto (Marcos Pasquim) com Ivan (Marcello Melo Jr.) estivesse estremecido. Por medo do preconceito do filho, o treinador não iria "sair do armário" e, nisso, o irmão começaria um relacionamento com seu namorado, formando um triângulo amoroso.

Em entrevista ao jornal "O Globo", o autor Gilberto Braga contou que mudou a trama, fazendo que com Carlos Alberto não fosse mais ser gay, após a realização de um grupo de discussão. Donas de casa disseram que não conseguiam ver Marcos Pasquim como homossexual.
"Entendo algumas decisões tomadas e sempre foi assim. Mas se você parar para pensar o mais legal é ver uma pessoa que fisicamente não tem nada a ver com o papel. O Pasquim seria perfeito, por ter aquela perfil de homem másculo. Uma pena o público não ter visto assim", opina Claudio Lins, que não teme rejeições por parte da ala conservadora do público.
"Não consigo pensar se vou ser boicotado ou não. Minha preocupação é fazer bem e não me importar se vão gostar ou não", diz. "Algumas polêmicas criadas são feitas por uma minoria que fica na internet alimentando esse tipo de conversa. Quem vive bem e é feliz, não tem tempo para isso, de ficar falando mal dos outros".

Nenhum comentário:

Marcador Em Destaques