Executivo gay português é o novo CEO mundial do HSBC


Visto na Lado A

No próximo mês, o executivo português António Simões, 40, substituirá Alain Keir na presidência do grupo HSBC mundial, um dos maiores bancos do mundo. Gay assumido, ele chegou a declarar no ano passado: "Se não fosse gay, provavelmente não seria CEO do banco", quando era o presidente do grupo no Reino Unido e comandava 43 mil pessoas. Eleito o executivo gay mais influente, ao lado de Tim Cook, CEO da Apple, os dois integram a lista dos executivos mais importante do planeta que saíram do armário.



Com uma carreira de 8 anos no HSBC, ele começou chefiando o departamento de recursos humanos e chega ao topo da empresa com mérito de ter comandado a matriz do maior banco da Europa que hoje enfrenta uma grave crise e fecha as subsidiárias do Brasil e da Turquia.

Fundado em 1865, o HSBC (The Hongkong and Shanghai Banking Corporation) teve sua primeira sede em Hong Kong, então território britânico. Presente em 72 países, o grupo tem 266 mil funcionário e faturou no primeiro semestre deste ano 12,5 bilhões de euro.

Comentários