20/10/2015

Ex-fuzileiro naval assume transexualidade e fica irreconhecível após transição de gênero



Visto na Marie Claire 

"Não me reconheço mais nas fotos antigas", diz Sona Avedian, que serviu no Iraque e Afeganistão, após mudança iniciada em 2012. Seus vídeos no Youtube tem mais de 1,6 milhão de visualizações

Uma americana transexual, ex-fuzileiro naval que chegou a pesar 108 quilos, faz sucesso na internet ao compartilhar os detalhes de seu processo de transição de gênero, iniciado em 2012. Sona Avedian, de 33 anos, diz que ocultava seu verdadeiro "eu" sempre aceitando as missões mais perigosas, como servir nos conflitos do Iraque e Afeganistão, como uma forma de "compensação" pela sua angústia com a identidade de gênero.

Desde 2012, quando resolveu abandonar sua antiga identidade masculina, Sona passou por uma incrível transformação: perdeu quase 45 quilos, se submeteu a sessões com laser para depilar a barba e os pêlos do corpo, além de um implante de seios, que a tornaram irreconhecível. 

SONA, QUE ANTES SE CHAMAVA MATTHEW, E CHEGOU A PESAR 108 QUILOS (FOTO: REPRODUÇÃO / FACEBOOK)

Sona, que antes se chamava Matthew, foi casada por muitos anos e é mãe de uma menina de 5 anos. Ela diz que teve uma separação amigável de sua antiga esposa, Lucy, e que mantém uma boa relação com a filha. "Minha filha e eu nos damos incrivelmente bem, ela adora ficar comigo. Ela só se lembra de mim como mulher e eu amo como nos damos bem, temos muito em comum", disse ao Daily Mail.

Apesar de ter perseguido o chamado "sonho americano", com uma família, um bom emprego e carro, Sona, que vive em Austin, Texas, diz que se sentia "deprimida" e que nada preenchia o "vazio" que sentia por não poder assumir sua identidade feminina. 

"Desde que assumi eu tenho tentado levar uma vida normal -como todo mundo, tem altos e baixos. Perdi vários amigos mas também fiz muitos novos. Estava seguindo o sonho americano, mas hoje nem consigo reconhecer mais quem eu era nas fotos de antes -era tão triste", desabafa.


Em 2012, ela decidiu contar para a esposa, amigos e família sobre seu antigo desejo e se submeter a um tratamento hormonal. "Pessoalmente, eutou mais feliz, não tenho mais nenhum conflito com quem eu sou. Sou uma mulher transexual e tudo bem. Não suportava mais quem eu era antes e nem conseguia mais interagir com as pessoas."

Sona deixou o passado como militar para trás e hoje trabalha como motorista de aplicativos como Uber e Lyft em Austin. Em sua página no Facebook e canal no Youtube, ela resolveu documentar sua vida pós-transição -apenas uma dos vídeos alcançou mais de 1,6 milhão de visualizações (assista abaixo, em inglês).

Solteira, Sona diz que tem conhecido "alguns poucos caras legais" em Austin.

Nenhum comentário:

Marcador Em Destaques