Há quase um ano, casal gay espanhol tenta sair da Tailândia com segunda filha e não consegue!


Visto no Portugal Gay

O casal espanhol Gordon Lake e Manuel Sandro Valero viajaram para a Tailândia há 11 meses atrás para pegar sua filha Carmen, gerada por meio de uma barriga de aluguel. Porém ainda não conseguiram sair com ela do país. 



Lake e Valero estão enfrentando obstáculos com a justiça porque a mulher que gerou Carmen não assinou os documentos para a obtenção do passaporte da menina. Aparentemente, a mãe biológica passou a rejeitar a orientação sexual dos dois e resiste em permitir que a garota viva com o casal em outro país. 

Antes e até pouco tempo depois do parto, tudo correu perfeitamente. Tanto que a recém-nascida foi autorizada pela progenitora a ir do hospital para o apartamento dos pais. Mas quando o casal começou a tratar da emissão do passaporte de Carmen, a mãe biológica recusou-se a assinar os documentos. Alegou que os dois poderiam ser traficantes de seres humanos.

Desde então, há quase um ano, Lake e Valero estão retidos na Tailandia num emaranhado de processos que, segundo eles, são propositadamente arrastados por meio de novos requerimentos, petições e solicitações. O primeiro filho do casal, Álvaro, até veio visitar os pais e a nova irmã na Tailândia, mas já voltou à Espanha e encontra-se na casa da tia, aguardando o regresso dos pais e a oportunidade de viver com Carmem. A pequena, que agora já engatinha, é a fonte de energia destes pais que se recusam a deixar Bangkok sem ela. “Ter um bebé tão feliz certamente ajuda quando nos sentimos mais em baixo”, disse um deles.



Apesar da tempestade, o casal agradece a forma calorosa do povo tailandês que graciosamente tem ajudado em todos os afazeres. Eles receberam a disponibilidade de 50 casas onde podem permanecer, tem serviços administrativos, tradutores e advogados que se desdobram em diversos processos. Lake e Valero tem ainda recebido outros apoios por meio das redes Faceboook, Twitter e Instagram. Corre ainda uma petição no site Change.org como forma de pressão junto das autoridades tailandesas. Esperemos que a situação se resolva rapidamente.



Comentários