17/01/2017

Não existe unidade no mundo gay.



Por Homorrealidade


É perceptível que uma onda conservadora está varrendo o mundo ocidental. Estamos acompanhando o crescimento da ultra direita radical em países que até ontem nadavam de braçada na derrubada de tabus e preconceitos. Países que estavam auxiliando a formatação de uma nova consciência, de um novo estado da arte na história humana.

Era tudo ilusão? Era tudo resultado de uma fina maquiagem utilizada pela imprensa para romper com o marasmo vigente? Era a opinião de uma minoria? Não havia base de sustentação para tais mudanças?

O Brasil está vivendo período semelhante. Após questionável manobra política, eis que chegam ao poder os representantes máximos do retrogrado pensamento elitista coronelista brasileiro. Chegam não... porque lá já estavam, contidos por interesses financeiros. Estavam muito ocupados gerenciando esquemas de corrupção seculares que, sai ano entra ano, se solidificaram na política tupiniquim.

Nesta celeuma ideológica como ficamos nós, os gays assumidos? Não ficamos. Não existe unidade. Não existe movimento unificado. Não existe "nós gays". Somos dissolvidos na gelatina da população. Somos tomados por interesses privados. Vale correr atrás do pão (ou caviar no caso das "bichas ricas") e lutar individualmente por sobrevida na labuta.

Entristece perceber a total e absoluta falta de unidade LGBTT no Brasil. Usamos, e abusamos, do tema quando ele nos favorece individualmente. Vejam o deputado Jean Willys, ele luta praticamente sozinho. Não há uma sombra de movimentos partindo em seu auxílio. Ele é uma andorinha solitária, infelizmente.

Imagino que muitos irão discordar e levantar uma série de argumentos contrários. Ótimo. Quero que o façam. Façam com fé, força e coragem. Encontrem uma unidade GAY no Brasil. Encontrem uma corrente que semeie algo de concreto e avassalador. Encontrem alguma liderança que não lute por holofotes e likes. Encontrem o PINK MONEY dando sustentação ao movimento GAY no país.

As poucas vitórias legais conseguidas foram resultado de movimentos internos e extremamente particulares. Não há foco ou mesmo uma pauta comum. Beijo gay em novelinha global não é visibilidade é amadorismo infantiloide.

Se a direita ultra conservadora avança, e avança rápido, só nos resta correr para as montanhas. Não conseguimos formar um batalhão para enfrentar a derradeira batalha.

Creio que nem tudo está perdido. Quero crer que no momento em que a ultra direita chegar chutando o traseiro dos gays que tem assento nas cadeiras de comando (são muitos acreditem em mim) algo terá que acontecer.

Caso contrário aviso que o processo para entrada legal no Canadá é complexo e demorado. Está chegando 2018...  É lutar ou ficar na fila...      

Um comentário:

Anônimo disse...

aeeee ... voltaram. Parabens!

Marcador Em Destaques