29/09/2017

"É amor ou narcisismo?" Por André Kummer

Por André Kummer  (Life Coach)

Unir-se a outra pessoa é uma forma importante e necessária para poder regular nosso entendimento de que o outro é diferente (é, pode e deve ser) e o sentimento de solidão da nossa existência.
Quando somos bebês nosso mundo é o seio materno e nosso umbigo. Demoramos um tempo para entender que nossa mãe não faz parte de nós. O mundo não gira ao nosso redor. O narcisista demora MUITO tempo para entender isso. Ou nunca entende.
A pessoa não é capaz de superar o narcisismo infantil, onde o ambiente é utilizado apenas como meio de satisfazer as próprias necessidades.
Os narcisistas têm a tendência de desenvolver uma ligação com seu ambiente através do exercício de poder sobre ele. Através deste mecanismo, eles somente conseguem construir certa unidade enquanto toda e qualquer integração autêntica seja destruída. ELE destrói para manter o poder.
Um outro caminho para unir-se com o mundo é oferecido pela possibilidade de subjugar-se a um grupo, uma ideologia, a um Deus, etc.
Por este outro mecanismo, o indivíduo supera o sentimento de isolação e sente-se parte de um grande poder, com qual se uniu.
Desenvolver um sentimento de ligação em relação a si e a outros é, por estas razões, uma necessidade básica humana.
Mas a real ligação, que mantem a saúde da alma é o amor.
O amor é a mais alta realização da nossa ligação com o mundo: Ele é o único caminho, através do qual é possível unificar-se com o mundo e, concomitantemente, adquirir um sentimento de integridade e individualidade.
No amor, você se une a outro ser, mantendo ao mesmo tempo a integridade de si mesmo, portanto sua separação.
O amor une mas mantêm separado. O narcisismo une e dissolve o outro em si: DESTRÓI.
A parceria entre dois seres acontece em uma renovação constante entre separação e união.

Nenhum comentário:

Marcador Em Destaques