"A minoria da minoria" Por André Kummer

Por André Kummer - Life Coach



Eu adoro manhãs de domingo. Você também?

Hoje fui lubrificar a máquina de escrever da minha mãe. Uma Remington, que usei para datilografar meu primeiro relatório de estágio, e que ainda funciona, mas está bem guardade na caixa de couro original. A Remington hoje produz rifles, revólveres e munição... 😱

Era um inferno datilografar. Se você errava na última linha tinha que recomeçar. A gente praguejava um monte, mas não surtava... Recomeçava.

Enquanto passava óleo nas engrenagens da máquina pensava na delicia do início da primavera e na liminar da cura gay.

Quando criei em 2013 o #GayLifeCoachBrasil , que fez parte do portfólio de uma instituição internacional de negócios sociais, o propósito era, e continua sendo, considerar o quanto a orientação sexual influencia os diversos aspectos da nossa vida - e influencia muito - e como gerenciar isso. 

Quase todos os gays, em algum momento, passaram por um intenso sofrimento psiquico.

Às vezes nos afastamos de quem amamos, especialmente familiares, porque não é possivel o entendimento.

Às vezes precisamos usar uma máscara no trabalho porque precisamos nos sentir incluidos e pagar nossas contas no final do mês.

Às vezes não conseguimos manter um relacionamento amoroso duradouro porque nem sempre somos amadurecidos para o amor.

Note que eu usei "quase" e "às vezes".

Há minorias dentro das minorias. 

Para alguns ser gay é algo luminoso e sem problemas. Para outros é uma batalha diária para cuidar dos gestos e do tom de voz.

Eu adorei a maneira divertida como se tratou a cura gay nas redes sociais. O caminho é por ai mesmo. A melhor forma de acabar com os demônios é rir deles.

Mas todos os que desejam falar sobre isso devem ler a Liminar. São só 5 paginas e na minha página do facebook tem o link para ler na integra e um post com as resoluções.

Não vi nenhum demônio na liminar. Sem duvida o demonio deve estar na cabeça da psicologa que apelou... Para quem quiser fazer um vodu com a foto e o nome dela também está na página.

Antes de você querer fazer vodu comigo entenda... HÁ MINORIAS DENTRO DAS MINORIAS!

Entender a minoria já é conplexo então a minoria dentro da minoria é mais complexo ainda.

No meu trabalho eu já atendi gays que não querem ser gays e me pedem ajuda.

O que eu vou fazer?

Dizer para essa pessoa ouvir ABBA e usar uma calça skinny rosa? Dizer: VOCÊ PRECISA SE ASSUMIR!! MOSTRAR PARA TODO MUNDO QUEM VOCÊ É... Blá blá blá...

Se eu fizer isso vou estar sendo igual a psicologa que quer a cura, apenas estarei do outro lado.

Não expor a sexualidade "pode ser" a escolha dessa pessoa e eu tenho que trabalhar com isso, não com a "cura" nem com o "assumir"... É a minoria na minoria, é a diversidade na diversidade... E isso é infinito.

Entenda...É essa briga de lados que está nos matando dia a dia.. É essa necessidade neurótica de felicidade que nos estressa...  É essa fé que precisa de milagres para existir que nos decepciona...

Se você acredita que há um lado certo ou errado talvez você termine como a Remington, produzindo armas... 😱

Com amor

André Kummer | Coaching & Psicoterapia 

Atendimento OnLine para todo Brasil - andrekummer.com.br

+55 54 99615–8721 - contato@andrekummer.com.br

Comentários

  1. Diante do desenrolar das coisas, após ter escrito esse texto, vou exercer meu direito de errar e mudar de idéia. Todas as ações que se desenvolvam no sentido de curar, modificar, alterar, ou o que for, a orientação sexual de uma pessoa deve ser cuidadosamente revista.
    Sabe-se, com comprovação científica e da lógica que, a quase totalidade dos processos de reversão da sexualidade não funcionaram e acabaram por levar pessoas a um intenso sofrimento psíquico.
    Existem pessoas, que por um exercício da vontade decidiram não viver sua sexualidade, abraçando a castidade, e isso não é cura, é uma decisão do indivíduo. Também bisexuais podem decidir por não manterem relações homoafetivas.
    Considero absurda a idéia de cura pelo simples motivo de que orientação não é doença. Também considero absurda a idéia de uma ideologia de gênero que ameace a sociedade e as famílias heteronormativas.
    Todo o resto deve ser cuidadosamente conversado e debatido. Gratidão

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Respeitamos opiniões contrárias às postagens contidas nesse site, mas solicitamos que evitem utilizar esse espaço para fazer propagandas, incluir conteúdos que não tenham vínculo com as postagens ou que visem agredir quem quer que seja. Obrigado!