09/10/2017

"O Presidente" por André Kummer


Na primeira noite eles se aproximam e roubam uma flor do nosso jardim. E não dizemos nada.

Na segunda noite, já não se escondem: pisam as flores, matam nosso cão, e não dizemos nada.

Até que um dia, o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a luz, e,  conhecendo nosso medo, arranca-nos a voz da garganta. E já não podemos dizer nada.

"No caminho com Maiakóvski” (1968) do brasileiro Eduardo Alves da Costa.

Não vou falar sobre  o nosso Donald Trump, que ontem estava discursando em Miami, ao vivo no facebook. Falou sobre sua saga de vereador pobre e o sonho da presidência. Você pode presumir o que ele foi fazer lá.

Também não vou falar sobre o youtuber que vi hoje dizendo que o mundo precisa mudar, tudo precisa mudar... Um mantra maravilhoso para pseudo gurus de auto ajuda, não fosse o caso de muitas vezes as coisas mudarem para pior. Whindersson Nunes, um dos dez influencer do mundo, talvez não tenha ideia do que seja pior.

Tampouco falarei sobre o vídeo dos artistar brasileiros com a hashtag #342artes e o video de Fernanda Montenegro pedindo um posicionamento, diz ela que estamos em um silêncio acovardado.

Vou falar sobre não falar. Sobre ignorar. Sobre deixar a parada existir e não consumir como diz o video do humorista Paulo Gustavo no instagram.

Não falar nunca foi uma boa técnica. Colocar a sujeira debáixo do tapete e os demônios internos calados no porão sob um manto de civilidada, nunca resolveu nada.

Em terapia isso fica evidente. Pouca pessoas fazem terapia como um processo de autoconhecimento. A maioria busca a terapia quando os demônios internos ja sairam do porão e estão dependurados no telhado como as gárgulas de Notre Dame.

A esperança (que vem de esperar e não de resolver) é de que um pouco de água benta e terapia faça os demônios voltarem para o porão. 

Você sabe que isso não resolve...  Mas as pessoas vivem bem com demônios no porão,  não gostam deles é na sala.

Demônios internos são como Jason, não morrem nunca... Um processo de autoconhecimento, ou terapia, tem um bom resultado quando você consegue sentar na sala de estar com os seus demônios e conversar. Há uma mágica que o terapeuta faz, que sem você perceber como, um dia você se da conta que seus demônios se transformaram em aliados.

Mas alguns não vão ser seu aliados nunca, e por isso mesmo você precisa conversar muito com eles, porque enquanto ele conversa com você  não está aprontando (sabotagem).

Seria algo assim:

- O que você quer?

- Quero ser presidente e mandar nessa porra toda!!

- Pra que?

- Pra todo mundo virar gente de bem!

- Como você pretende fazer isso?

- Na porrada!!!

Continue conversando...  Evite o Silêncio Acovardado mas não retribua o ódio.


Com amor,

Atendimento Online para todo Brasil
contato@andrekummer.com.br - 54 99615 8721
www.andrekummer.com.br

Nenhum comentário:

Marcador Em Destaques