"Tom of Finland" por André Kummer



Sim, você já deve ter se deparado com desenhos como essa em sua vida. Talvez não saiba que a pessoa que fez esses desenhos foi o finlandês chamado Touko Valio Laaksonen, entrou para história como Tom of Finland.

Pouco conhecíamos de sua vida, mas a história de  "Tom de Finland" estará no Oscar 2018 concorrendo como melhor filme estrangeiro, depois de ter sido censurado em 50 países.


Os pais de Touko eram professores e o educaram numa atmosfera de arte, literatura e música. Aos cinco anos o menino tocava piano e desenhava tiras em quadrinhos. Amava a arte, a literatura e a música. Adulto estudou propaganda na Escola de Arte de Helsinki.

No final de 1956, Touko mandou seus desenhos secretos para uma popular revista americana, usando o pseudônimo Tom.

O editor se interessou e a capa da edição de primavera de 1957 trouxe um lenhador sorrindo, desenhado por "Tom of Finland". Foi uma sensação. Touko se tornou Tom e, a partir de então, o resto se tornou história.

No final da vida Tom afirmava enfaticamente: "Trabalhei arduamente para ter certeza de que os homens que desenho têm orgulho pelo sexo que praticam e estão felizes por fazê-lo!". Para Tom, vergonha seria reprimir suas fantasias.

Em 1986 foi criada a Fundação Tom of Finland, uma organização sem fins lucrativos, com a proposta de documentar o trabalho de Tom e de todas as categorias de artistas dedicados à arte erótica.

O diretor de "Tom of Finland", Dome Karukoski, diz que o filme é uma história sobre liberdade de expressão. É uma história sobre se podemos, ou se nos permitem, ser quem somos e construir a arte que queremos.

Independente se você acha que o que ele fez era arte ou não, o mais importante talvez seja que, aos poucos e sob diferentes formas, podemos ser vistos.

Podemos ser vistos pela arte erótica, e precisamos ser vistos também por nossa dignidade como pessoas, e pela nossa capacidade em sustentar nossas vidas, nossas famílias e pagar nossos impostos.

Longe de pregar qualquer ideologia de gênero queremos paz e felicidade, sem sermos acusados de demônios ou aberrações.


        


Comentários