"12 anos de Confissões" Por Diego Abrantes


Por Diego Abrantes

Há 12 anos Madonna acordou de um longo sono da beleza e resolveu presentear todos aqueles que mais ajudam a pagar seus boletos: as gay. Anos de devoção deveriam ser recompensados depois de termos tragado o quase intragável American Life (OK eu até gosto do álbum, confesso). Tia Madge vinha numa maré de azedume depois de destilar todo seu veneninho, vulgo verdades esfregadas na cara da sociedade, que torcia o nariz, igual aquela amiga que não gosta de ouvir que o look dela tá uó. Foi o que Madonna fez pro status quo americano no álbum American Life.

Alguns anos mais tarde a bonita resolveu tirar todo o glitter guardado no armário e transformar toda essa viadagem adormecida por anos em música: Nascia o Confessions On A Dancefloor, seu décimo álbum de carreira é uma ode ao hedonismo multicolorido e dançante. O conceito de álbum “non stop”, que não traz o conhecido “silêncio” entre as faixas, como se fosse um set de dj, já mostrava pro que veio: a pista de dança. Ao ouvir o álbum novamente enquanto escrevo essas linhas, cato no fundo da memória o feeling de ouvir Hung Up pela primeira vez...

Tia Madge foi buscar nas raízes da disco music os fundamentos do seu álbum. Qualquer semelhança com Donna Summer, Jacksons 5 e ABBA não é mera coincidência. Após alguns telefonemas de tiete à Bjorn e Benny (isso mesmo, as letras “B” do grupo ABBA, os “cabeças” musicais do quarteto) a tia conseguiu usar o purpurinado sample de Gimme! Gimme! Gimme! (A Man After Midnight) na música de abertura do álbum. Pronto, assim surgia um hino gay. Se alguém tem dúvidas, é só traduzir a letra dessa canção do ABBA!

Não vou ficar falando do quão mara é esse álbum, só o fato dele ser lembrado aqui já se explica muita coisa. O interessante são as referências, que tem muitas manas novinhas que nem tem noção de onde essas maravilhas musicais saíram. Notem na faixa 3 Sorry a semelhança com Can You Feel It do Jacksons 5!

E a faixa 4 Future Lovers como é uma citação clara à I Feel Love da Donna Summer!

E tem também o babado de Get Together ser uma nova roupagem da melodia de Holiday, seu primeiro megahit. Reza a lenda que uma faixa chamada “Liquid Love” (que é um B Side do álbum Music) ganharia nova produção do David Guetta e iria entrar no set list do Confessions... A música When Love Takes Over do Guetta seria a melodia rejeitada por Madonna pra Liquid Love! Isso foi o que eu ouvi numa rodinha de aficionados pela tia...


Giovanni Bianco foi o responsável por traduzir o visual babadeiro dessa disco diva do novo século. Um festival multicor audiovisual! Que tia Madge complete 200 anos usando seu collant rosa e fazendo nossa alegria forever!   
Essa é a foto original da capa do album, sem tratamento... Photoshop faz mágica né?











Diego Abrantes/Arquiteto e Urbanista

Comentários