"Aos 25, Festival Mix Brasil resiste em meio a escalada homofóbica e terá programação gratuita" Por Guilherme Genestreti e Pedro Diniz

Por Guilherme Genestreti e Pedro Diniz
Visto na FOLHA


Em um ano de ataques à liberdade de expressão e de uma escalada homofóbica que associa homossexualidade à pedofilia, o Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade versará sobre resistência.

Tanto a resistência do evento, que comemora 25 anos com programação inteiramente gratuita, quanto a de membros da comunidade LGBTQ com histórico de luta por cidadania e equanimidade de direitos. Ao todo, 167 filmes serão exibidos entre 15 e 26 de novembro, nesta que é a maior edição do Mix.

O primeiro prêmio especial será dado ao cineasta americano Gus Van Sant, que além de vir ao país para a entrega da homenagem ganhará retrospectiva de sua filmografia. Serão exibidos títulos como a sua estreia, “Mala Noche” (1986), filme em preto e branco sobre o envolvimento de um americano com um jovem e ilegal imigrante mexicano, e o hoje clássico “Garotos de Programa” (1991), “road movie” que tem Keanu Reeves e River Phoenix no papel de dois prostitutos.

Entre os títulos brasileiros já confirmados estão “A Moça do Calendário”, de Helena Ignez, um elogio às utopias, inclusive a sexual. Já a escalação internacional inclui títulos como “Tom of Finland”, sobre o notório ativista homoerótico finlandês, e ‘God’s Own Country”, obra sobre o envolvimento de dois jovens pastores no interior do país.

A abertura do evento se dará com a exibição de “Me Chame pelo Seu Nome”, filme do italiano Luca Guadagnino que é um dos grandes cotados ao Oscar. Na obra, um pesquisador americano (Armie Hammer) se envolve com um adolescente europeu (Thimothée Chalamet), filho do casal que o recebe na Itália.

Já “Thelma”, de Joachim Trier, aborda a história de um romance lésbico contada sob chave fantástica.

À extensa programação de filmes espalhada por salas do Espaço Itaú Augusta, CineSesc e Centro Cultural São Paulo, será incluída uma outra de shows, marcados para acontecer no Auditório do Ibirapuera, e peças de teatro.

Quem abre a programação musical é a cantora “Liniker e os Caramelows”, e a de teatro, o monólogo “Processo de Conscerto do Desejo”, dirigido e protagonizado pelo ator Matheus Nachtergaele.

Após debate com patrocinadores, foi mantida a programação de filmes educativos da mostra “Crescendo com a Diversidade”, voltado para crianças e que tem classificação etária livre.

Comentários