"Gordos não vão pro céu"por André Kummer


Eu pensava ser uma pessoa normal. Trabalho, vou a academia, estudo, leio jornais e revistas. Mas parece que eu estava muito no meu quadrado. Culpa do Google que nos faz sempre ver as mesmas coisas.

Ontem, aproveitando a sexta feira livre em casa, resolvi pegar a indicação de alguns amigos e visitar esse estranho mundo fora do meu quadrado.

Comecei vendo alguns sites e páginas do Facebook de humor, alguns ótimos e criativos, como a Igreja da Santa Cher na Terra. Mas a maioria é piadas sobre preconceito, sobre ser gay, gordo, feio, negro, mulher burra e sobre pessoas caindo e se machuncando enquanto os outros riem, estilo Faustão - que não vejo há quase uma década, porque se a gente vê um programa dele vê todos.

Alguns tentam ser sérios... Vi algo como a diferença entre ser sarado e ser urso, a importância de ter abdomem definido para a felicidade, sexo e whey protein, importância da beleza na pegação, surubas de protesto contra cura gay...

Também vi Judith Butler ser perseguida e xingada em Guarulhos por algumas senhoras que a meu ver estavam em pleno surto psicótico.

Li sobre a diferença entre conservador e liberal, direita e esquerda, bonito e feio, xingamento e liberdade de expressão... O fascinante novo mundo das estruturas de ego e poder nas mídias sociais se desenrolou na minha frente.

Mas a cereja do bolo, que realmente conseguiu me tirar risos foi a mulher da foto. Ela é filha de Baby Consuelo, agora é Baby do Brasil, e de Pepeu Gomes. Ele cantava nos anos 1990 uma música sobre ser um homem feminino e tinha os cabelos pintados de verde. Sarah Sheeva, que tem cabelos pintados de loiro, mas usa a mesma estratégia dos pais, é pastora e disse que evangélicos gordos não entrarão no céu. Recomenda jejum.

Falar merda parece ser o segredo do sucesso. O site e o facebook dela é hilário, tem páginas de culto as princesas e principes, na verdade um culto ao narcisismo intercalado com passagens bíblicas, e com mais de 500.000 seguidores... O povo se diverte enquanto Brasília continua sendo Brasília, enquanto alguns morrem para o deleite de poucos... O verdadeiro Pão e Circo romano só que com pão e espetáculo ruins.

Esse é o Brasil no momento. Que Santa Cher na Terra nos proteja.

Com licença! Vou voltar para o meu quadrado. Tenho mais o que fazer.


        

Comentários