26 de mai de 2015

Pastor homofóbico é flagrado procurando por sexo em aplicativo gay


Um pastor de Michigan (EUA) que já se pronunciou contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo foi pego pedindo por sexo em um aplicativo de paquera gay.
O site de notícias gays Queerty conseguiu capturas de tela da conversa em que Matthew Makela envia fotos suas para outros homens. O pastor, que é pai de dois filhos, confirmou a autenticidade da conversa, mas não quis fazer mais comentários.
Makela deixou o cargo depois que o artigo veio a público. O pastor repetidamente condenava a homossexualidade em seus cultos e em manifestações na internet. As informações são do Daily Mail e do The Independent.
Em um agora deletado comentário para um jornal anticasamento gay, editado por um colega pastor, Makela comparou a homossexualidade ao alcoolismo e sugeriu que os gays poderiam superar a atração pelo mesmo sexo com apoio suficiente.
“Eu amo as pessoas que têm atração sexual pelo mesmo sexo, assim como Deus”, escreveu ele. “Nós não dizemos a uma pessoa que nasce com tendências para o abuso de álcool para continuar a satisfazer seus desejos inatos. Tentamos ajudá-la em sua luta.”
Em um post no Facebook de setembro de 2014 ele novamente repetiu suas visões antigays. “Mudar a cultura começa com a mudança de nossa própria cultura de casamento e família, tomando a união matrimonial com a maior seriedade e acolhendo as crianças em nossa igreja”, escreveu, explicando que o casamento gay e o divórcio não “refletem os desejos de Deus de amor e submissão”.
Mas, no Grindr –o aplicativo de paquera para o público homossexual–, o pastor pediu para se encontrar com outros homens, explicando que tinha uma namorada e que não podia sair à noite.
“Adoro ficar pelado”, ele escreveu. “Oral e massagem. Também gosto de abraçar”, continuou ele antes de enviar mais fotos de si mesmo pelo app.
informações de EBC e UOL

Boticário mostra casais homossexuais em campanha para o Dia dos Namorados

Visto no IG
O Boticário incluiu casais homossexuais na campanha de sua linha Egeo feita para o Dia dos Namorados, divulgada na última segunda-feira (25).
No vídeo, homens e mulheres aparecem se preparando para um encontro para o qual levarão, como presente, produtos da marca. Dos quatro casais que se encontram, dois são homossexuais: um de gays e outro de lésbiscas.  Ninguém se beija.
A sequência tem por trilha sonora uma versão da música "Toda Forma de Amor", de Lulu Santos. O casal que ilustra o site da campanha é heterossexual. 
Embora várias empresas venham se posicionando favoravelmente à causa gay, a apresentação de homossexuais em campanhas publicitárias ainda encontra resistência. Uma das primeiras lésbicas assumidas a ocupar a posição de garota-propaganda de uma grande marca foi Daniela Mercury, escolhida - antes de assumir a homossexualidade - por Mastecard e Decolar.com.

Trilha/Clipe LGBT: Manila Luzon em "Glamasaurus"

25 de mai de 2015

Tabloide afirma que Brad Pitt é bissexual e Jolie sabe da "vida dupla"

Essa é difícil de acreditar mas, segundo a “Star Magazine”, Brad Pitt seria bissexual. O tabloide ainda afirma que ele contrata garotos de programa com frequência e que sua mulher Angelina Jolie, bissexual assumida, teria total conhecimento da “vida dupla” do marido.
De acordo com uma fonte da revista, o astro já teria convidado o ator pornô Cameron Fox para encontro íntimo em hotel da Califórnia.
Até agora a assessoria do casal não se pronunciou sobre o assunto. A revista “Star Magazine”, por sua vez, responde a vários processos por calúnia e difamação na justiça americana.

Casal homossexual que 'fingiu' ser pai e filho vai se casar nos EUA

  • Bill Novak (à esq.) e o seu marido Norman MacArthur em Erwinna, na Pensilvânia
Visto no UOL
Depois de 50 anos juntos, Bill Novak e Norman MacArthur finalmente vão conseguir se casar no Estado americano da Pensilvânia. Para ter alguns direitos durante parte desse tempo juntos, o casal era reconhecido como pai e filho legalmente, mas, agora que o casamento entre pessoas do mesmo sexo tornou-se legalmente reconhecido no Estado, eles conseguiram que um juiz desfizesse a adoção para que possam se casar.
Eles usaram um detalhe técnico para obter os direitos que queriam quando se mudaram para uma região dos EUA que não reconhecia parcerias do mesmo sexo. Então, se registraram como "parceiros domésticos" em Nova York em 1994, antes de se mudarem para a Pensilvânia.
Norman disse a Patch à época: "O inferno vai congelar antes que a Pensilvânia aprove o casamento do mesmo sexo". E assim, Novak adotou MacArthur em 2000.
Entretanto, o Estado aprovou a lei em maio de 2014. Eles interromperam a adoção --uma prática utilizada por muitos casais homossexuais no Estado durante algum tempo--, e devem se casar oficialmente nos próximos meses.
Norman acrescentou: "Eu sinto uma enorme sensação de alívio e liberdade agora que nós podemos finalmente fazer algo com o qual eu tenho sonhado há anos". (Com Metro.co.uk)

Trilha/Clipe LGBT: GAREK em "Save the Queen"

24 de mai de 2015

Irlanda aprova em referendo o casamento gay com 62% dos votos


Visto no G1

A Irlanda se tornou o primeiro país do mundo a aprovar em um referendo o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Com todas as urnas do referendo de sexta-feira (22) apuradas, o "sim" atingiu 62% dos votos, com 38% para o "não".

Mais de 60% dos eleitores compareceram às urnas. Este foi o maior índice de comparecimento em um referendo no país em mais de duas décadas, segundo a Reuters.


Mais de 3,2 milhões de pessoas foram às urnas - muitos irlandeses que não moram no país voltaram só para participar da votação, informou a BBC.



A notícia foi recebida com muita festa pelos partidários do "Sim", muitos deles reunidos na esplanada do castelo de Dublin, e rompe com o domínio hegemônico sobre a moral pública exercido durante séculos pela Igreja Católica, que pediu o voto contra o casamento gay.


A Igreja defendeu o voto "não", em um país no qual mais de 90% das escolas do ensino básico estão sob a tutela da instituição, os sinos tocam duas vezes por dia na televisão pública e 84,2% da população se declara católica, informou a France Presse.



Na outra ponta, o "sim" foi apoiado por todos os partidos políticos, grandes empregadores e endossado por celebridades, todos esperando que a proposta marque uma transformação no país, que foi por muito tempo tido como um dos mais socialmente conservadores na Europa ocidental. Segundo a Reuters, apenas um terço do país apoiava a descriminalização do sexo entre gays para homens acima de 17 anos em 1993, segundo uma pesquisa da época. Um juíz de um tribunal supremo disse em 1983 que a homossexualidade era "moralmente errada" e contribuía para depressão e suicídio.


Mas os irlandeses ignoraram o apelo religioso. Os defensores do casamento entre pessoas do mesmo sexo na Irlanda começaram a comemorar antes mesmo do anúncio oficial do resultado. A esplanada do castelo de Dublin, que já foi a residência dos governantes britânicos e sempre foi um símbolo do poder, ficou lotada de partidários do "sim", em um clima de festa.

Na sexta-feira, mais de 3,2 milhões de irlandeses estavam registrados para votar a favor ou contra uma emenda constitucional que contempla que "o matrimônio pode ser contratado de acordo com a lei por duas pessoas, sem distinção de sexo".

O referendo, organizado 22 anos depois da homossexualidade deixar de ser considerada crime na Irlanda, provocou debates intensos nas últimas semanas, em um país no qual a Igreja Católica, contrária ao casamento gay, mantém uma influência considerável.

Os defensores da reforma constitucional receberam o apoio de várias celebridades, como o cantor Bono, do grupo U2, e o ator Colin Farrell, segundo a France Presse. Do lado do "Não", a Igreja Católica de Irlanda e os conservadores defenderam que o matrimônio deveria seguir exclusivo para a união entre um homem e uma mulher.

Reações


O primeiro-ministro de Luxemburgo, Xavier Bettel, recém-casado com o arquiteto belga Gauthier Destenay, parabenizou neste sábado a Irlanda pela votação a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo em um referendo. "Eu disse 'sim' na semana passada, a Irlanda disse 'sim' hoje, e em 7 de junho direi 'sim' três vezes seguidas", escreveu Bettel em sua conta no Twitter.


Um dos líderes da campanha do 'não', David Quinn, diretor do Instituto Iona, uma organização de lobby católico, também escreveu mensagem na rede social. "Parabéns ao lado do 'sim'. Bom trabalho."


Bettel foi o primeiro líder gay da União Europeia a se casar. O primeiro-ministro, de 42 anos, havia anunciado em agosto de 2014 a intenção de se casar com Gauthier Destenay, um arquiteto belga com quem estava unido por contrato de união civil desde 2010.


Em Dublin, uma das drag queens mais famoras da Irlanda, "Panti Bliss", nome artístico utilizado por Rory O'Neill, comemorou o resultado nas ruas. Ela foi uma das lideranças da campanha a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo. "É fantástico ser irlandês", disse à France Presse.

Já o ministro da Saúde do país, Leo Varadkar, afirmou que a decisão é "uma revolução cultural", em referência à forte tradição católica do país, onde a homossexualidade só deixou de ser considerada crime em 1993, segundo a France Presse. "É histórico, somos o primeiro país do mundo a votar a favor da igualdade no matrimônio em um referendo", disse Varadkar.


Outra autoridade do país que comentou o assuntoi foi Aodhan O Riordain, secretário de Estado para a Igualdade. "É isso. Urnas chaves já foram abertas. Deu sim. E foi uma avalanche em Dublin. Estou tão orgulhoso de ser irlandês hoje", escreveu no Twitter.



O que é referendo

 Apesar de os dois serem formas de decisão da população sobre as leis de um país, existe uma diferença entre referendo e plebiscito.



Nos plebiscitos, os cidadão são é convocados para opinar sobre um assunto que já estava em debate antes que qualquer medida tenha sido adotada. Depois, o resultado obtido após a consulta popular é utilizado como base para elaboração de uma lei. No caso do referendo, as pessoas são convocadas para dizer se são contra ou a favor de uma lei já aprovada anteriormente.


Pesquisa cria ranking dos países onde os gays se sentem mais felizes (ou infelizes) no mundo!


Por Homorrealidade

O portal Planet Romeo construiu e publicou um Índice da Felicidade Gay que lista os países em que os homossexuais são mais felizes (ou mais infelizes, por consequência). Neste levantamento, que considerou 137 nações, o Brasil está na 39ª posição do ranking.

Segundo o portal, o país que mais oferece qualidade de vida para os gays em todo o mundo é a Islândia.  A Noruega vem em segundo lugar e a Dinamarca, em terceiro. Uganda, na África, assume o posto de território onde os gays se sentem mais infelizes.  

Na América do Sul, o Uruguai é o país mais bem colocado, assumindo a quinta posição mundial. A Argentina vem em seguida, com o 15º lugar. Peru tem a pior colocação na região, ficando em 56º lugar no mundo.  

O estudo contou com a participação de 115 mil homossexuais em todo o mundo. O índice levou em consideração a forma como os habitantes de cada país encaram os homossexuais e o grau de satisfação dos próprios gays com sua vida e com o nível de aceitação dos conhecidos sobre sua orientação.  

A partir dos resultados, os responsáveis pelo Planet Romeo calculam que existam no mundo cerca de  sete milhões de homossexuais que mantêm casamentos com pessoas do sexo oposto, 13 milhões de gays que foram expulsos de casa devido a sua orientação sexual, 22 milhões que perderam o emprego ou foram prejudicados no local de trabalho pelo mesmo motivo e, pior, mais de quatro milhões de gays, só no último ano, que foram vítimas de violência homofóbica.

Confira outros detalhes do índice no site oficial da pesquisa (em inglês): CLIQUE AQUI!



Casal gay descobre que os dois são filhos do mesmo pai após teste de DNA em programa

 
Visto na Marie Claire
 
Lee e Paul, que se conheceram on-line, começaram a desconfiar de parentesco após o primeiro levar o namorado para conhecer a família
 
Os ingleses Paul e Lee achavam que tinha encontrado o amor de suas vidas ao começarem a namorar após se conhecerem num aplicativo de encontros. O que o casal não esperava era que, após certo tempo desconfiados de que poderiam ser parentes, eles descobrissem ser, na verdade, meio irmãos.
 
 Os dois começaram a desconfiar do parentesco após Lee levar Paul em casa para conhecer seus pais. Os parentes de Lee começaram a comentar que Paul lembravam muito o ex-marido da mãe dele, Ron – que Lee nem desconfiava que existisse até então.
 
 A desconfiança aumentou após os dois descobrirem que Paul tinha o mesmo sobrenome de Ron, enquanto a mãe de Lee admitiu, mais tarde, que ele tinha um meio irmão, filho do ex-marido com outra mulher, que foi mantido em segredo. Paul havia sido adotado quando 8 meses.
 
 O mistério só foi desvendado no programa Jeremy Kyle Show, do canal ITV, famoso por realizar testes de DNA. “Você está tendo relações sexuais com um homem que ama e quer casar e, em determinado momento, alguém diz que ele pode ser o seu meio irmão. O que isso significa para você?”, perguntou o apresentador.
 
“Isso me deixa muito mal. Faz eu me sentir horrível. Não consigo nem descrever”, disse Lee. “Qual o pior cenário para vocês caso descubram que são mesmo irmãos?”, perguntou Kyle. “Eu espero que ao seja verdade porque eu o amo muito. Isso é surreal”, disse Paul.
 
 O apresentador, então, leu uma carta escrita por Ron, na qual o homem revelava que na verdade havia tido quatro filhos, incluindo um chamado Paul, que havia sido dado para adoção. Após isso, o resultado do teste de DNA provou que os dois eram filhos do mesmo pai.
 
“Eu ganhei um meio-irmão. Eu só posso dizer que estarei sempre ao lado dele”, disse Lee. Chorando, Paul disse que a descoberta não o afastaria do irmão. “Eu quero conhecê-lo melhor agora que somos irmãos.”
 
A mãe de Lee, Ena, disse estar feliz em ter retomado o contato com o filho do ex-marido, que não via desde que a criança tinha poucos meses. Revelado em 2012, o programa mostrou que a família conseguiu lidar com a questão e que os ex-namorados convivem bem hoje como irmãos.

Humor: Casos de Família (28/01/15) - O problema não é que você é gay, é que você é muito gay!